Alice Springs: a porta de entrada para o Outback Australiano!

0

Localizada no Território do Norte, na Austrália, Alice Springs é a porta de entrada para o Outback, região australiana que abriga o famoso Uluru-Kata Tjuta National Park, o grandioso Kings Canyon, as estradas “off road” do Finke Gorge National Park e as piscinas naturais (waterholes) do MacDonnell Ranges.

Uluru Austrália

Uluru-Kata Tjuta National Park, Austrália. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Antes de seguir para essas regiões, no entanto, vale a pena fazer uma parada em Alice Springs para conhecer algumas de suas principais atrações, fazer compras no supermercado, alugar um carro e se preparar para uma das mais animadas aventuras pelo deserto australiano!

Em março de 2017, conhecemos a cidade em 1 dia, antes de seguirmos para o interior. No post de hoje, detalharemos o nosso roteiro e daremos algumas dicas para ajudá-lo a realizar esta viagem também.

1) O que fazer em 1 dia em Alice Springs

Chegamos no aeroporto de Alice Springs no final da manhã e aproveitamos para conhecer as principais atrações da cidade. Começamos o dia pelo Alice Springs Desert Park, que é considerado a segunda atração mais bem avaliada no Tripadvisor.

  • Alice Springs Desert Park

Visitar o Alice Springs Desert Park logo no primeiro dia é uma excelente maneira de abrir a viagem pelo Outback Australiano.

Alice Springs Desert Park

Alice Springs Desert Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O parque, que está localizado a apenas 7 km do centro da cidade, concentra em um mesmo lugar três importantes ecossistemas da região: Sand Country, Woodland e Desert Rivers.

Atrações pontos de interesse Alice Springs

Sand Country, Alice Springs Desert Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Funcionamento do parque:

De maneira geral, o viajante caminha por uma trilha bem demarcada que passa pelos diferentes ecossistemas e pode observar plantas, áreas de inundação, pântanos, animais e rochas da região. A caminhada é bem tranquila e basta seguir o mapa. É bom estar de tênis, pois você andará diretamente na terra do deserto.

Uma boa forma de se orientar é marcar o MacDonnell Ranges, mostrado em laranja na figura abaixo. Tenha ele sempre em vista como um ponto de referência.

Map Alice Springs Desert Park

Mapa do Alice Springs Desert Park. Fonte: Alice Springs Desert Park

Outback Australiano

Animais do Alice Springs Desert Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O que fazer no outback australiano

Flora do Outback Australliano. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Ao longo do parque, você encontrará alguns banheiros e bebedouros. É bom levar uma garrafinha de água, pois a temperatura é absurdamente quente.

Antes de começar a caminhada, vale a pena consultar os horários do cinema do parque. Incluído no ticket de entrada, o pequeno filme dá uma noção geral sobre o Território do Norte da Austrália e termina com um momento emocionante, mas isso eu não posso contar, rs. Se possível, assista a esse filme antes de começar a explorar o parque.

  • Chegue bem perto dos cangurus:

Foi no Alice Springs Desert Park, onde tivemos contato pela primeira vez com os animais símbolo da Austrália. Lá você pode entrar dentro do recinto dos cangurus e conhecer de perto estes simpáticos animais. Bem interessante!

Canguru Austrália Alice Springs desert park

Renato e o Canguru, Alice Springs Desert Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Animais noturnos:

Outro espaço bastante interessante é a casa dos animais noturnos. Lá você encontrará pássaros, roedores e outros bichos que frequentam os desertos durante a noite. Bom para você saber o que pode encontrar caso acampe no Outback, rs.

Alice Springs Desert Park Austrália

Deite no puff, olhe para as “estrelas”, ouça o barulhos dos animais e relaxe no ar condicionado! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Anzac Hill

O Anzac Hill está localizado no coração de Alice Springs e é de onde se tem a melhor vista da cidade.

Apesar de estar no alto do morro, é possível chegar até lá de carro e estacionar em um estacionamento gratuito.

Pontos turísticos Alice Springs

Pôr do sol em Anzac Hill. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Lá também existe um pequeno monumento em homenagem aos soldados australianos e neozelandeses que lutaram na primeira e na segunda guerra mundial.

A nossa dica é se programar para ver o pôr do sol lá, é lindo!

Anzac Hill

Monumento no Anzac Hill. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

2) Onde se hospedar em Alice Springs

Ficamos hospedados no Haven Backpackers Resort, um hostel econômico, localizado próximo a supermercados, fast foods e todo o tipo de comércio.

Haven Backpackers Resort

Haven Backpackers Resort, Alice Springs. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O hostel possui uma piscina e um jardim. Um alívio para o calor de Alice Springs, que pode facilmente passar dos 40º graus no verão.

Onde se hospedar em Alice Springs

Delícia de piscina no Haven Backpackers Resort. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Além disso, você encontrará facilidades para churrasco, lavanderia, cozinha compartilhada, estacionamento, sala de TV e sala de bagagem.

Os quartos podem ser compartilhados (dormitórios) ou privativos. Todos eles possuem ar-condicionado (ufa!) e banheiro interno.

Haven Backpackers Resort

Quarto de casal com banheiro privativo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Hostel Alice Springs

Além da cama de casal, o nosso quarto tinha um beliche e um sofá. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A propriedade também vende diversos tours de 1 ou vários dias para o interior do Outback Australiano. Esta pode ser uma boa opção se você está sozinho ou se não está seguro sobre dirigir na Austrália, já que lá a mão é inglesa.

Para saber mais sobre esses tours, consulte o site oficial do Haven Backpackers Resort

3) Como chegar

Alice Springs é a maior cidade da região do Outback e, por ter a melhor infraestrutura turística, costuma ser usada como porta de entrada por quem deseja desbravar o deserto australiano.

Estrada no Outback. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A maneira mais comum de se chegar na cidade é de avião. O aeroporto, apesar de pequeno, é bem organizado, confortável e possui vôos vindo de diversas cidades australianas como Sydney, Brisbane, Melbourne, Cairns, Darwin, Adelaide e Perth.

Para ir do aeroporto para a cidade, o viajante pode escolher entre contratar um transfer, pegar um táxi ou alugar um carro. Em março de 2017, o transfer da empresa Alice Wanderer custava AUD$ 16 por pessoa no caso de dois passageiros viajando juntos e AUD$ 11 para um terceiro passageiro. Quem estiver viajando em grupos de 4 ou mais pessoas, porém, fará jus à tarifa reduzida de AUD$ 11 para todos os passageiros. O transfer é super cômodo, pois te pega no aeroporto e te deixa na porta do hotel. No entanto, como o ônibus é grande e vai parando de hotel em hotel, o tempo de viagem costuma ser bem longo. Nós, por exemplo, gastamos mais de uma hora neste trajeto. De carro, o mesmo percurso demoraria apenas 18 minutos !!!

Quem optar por pegar um táxi deve esperar pagar em torno de AUD$ 40, dependendo da localização do hotel.

Para quem vai dirigir até o Kings Canyon e Uluru, a melhor opção, sem dúvida, é alugar um carro no aeroporto. As empresas Hertz, Avis, Budget, Europcar e Thrifty possuem guichês dentro do aeroporto.

Outra forma de se chegar a Alice Springs é através do Ghan, o icônico trem australiano que liga Darwin a Adelaide, atravessando todo o deserto. Essa jornada de 2979 km deve ser uma experiência incrível, mas não é para qualquer bolso, já que os preços das passagens são beeeem salgados.

4) O Red Centre Way

O nosso planejamento inicial para o Outback era percorrer todo o Red Centre Way, um fantástico caminho de aproximadamente 690 km que corta o deserto, passando por lugares incríveis como o West MacDonnell National Park, Kings Canyon e Uluru / Kata Tjuta National Park.

Dirigir outback australia deserto

Percorrendo o Red Centre Way no Outback, Austrália. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Entretanto, para fazer essa viagem encontramos duas grandes dificuldades. A primeira foi que, em regra, as grandes locadoras não autorizam que seus carros passem por essa rota. Isso acontece porque nela existe um trecho de estrada de terra de aproximadamente 93 km, conhecido como Mereenie Loop, que é recomendado apenas para veículos 4×4. E nem adianta alugar uma SUV 4×4 urbana, pois mesmo estes carros não são autorizados pela locadoras a trafegar nesta estrada. A opção para quem quiser dirigir neste trajeto e ter uma experiência bem autêntica do Outback, é alugar um carro maior (Toyota Prado ou Hilux, por exemplo) na divisão de veículos especiais das grandes locadoras, como a Hertz Trucks, ou alugar em uma empresa local que não tenha restrição quanto ao Mereenie Loop. Mas, em ambos os casos, considere que isso deve aumentar muito os seus custos.

A segunda dificuldade, que foi determinante para mudarmos nossos planos, é que precisaríamos de 5 dias completos para fazer todo o trajeto bem feito. Como só tínhamos 4 dias inteiros, tivemos que fazer uma rota alternativa, dirigindo apenas por estradas asfaltadas e excluindo o West Macdonnell do nosso roteiro.

No entanto, vamos compartilhar aqui no blog o roteiro que gostaríamos de ter feito em 6 dias (5 dias inteiros, mais o dia da chegada) para ajudar aqueles que têm um dia a mais do que tivemos. Clique aqui para acompanhar o roteiro pelo mapa.

ROTEIRO DE 6 DIAS PELO OUTBACK

Dia 1: Chegada a Alice Springs

Dia 2: West Macdonnell National Park

  • Simpsons Gap
  • Standley Chasm
  • Ellery Creek Big Hole
  • Serpentine Gorge
  • Ochre Pits
  • Ormiston Gorge
  • Glen Helen Gorge
  • Redbank Gorge
  • Pernoite em Glen Helen

Dia 3: Kings Canyon National Park

Dia 4: Uluru/Kata Tjuta National Park

Dia 5: Uluru/ Kata Tjuta National Park

  • Nascer do sol no Uluru
  • Andar de bicicleta em torno do Uluru (Cycle the Base)
  • Valley of the Winds Walk
  • Pôr-do-sol no Kata Tjuta
  • Pernoite em Ayers Rock

Dia 6: Volta a Alice Springs

Caso, assim como nós, você não esteja com um carro 4×4, é possível fazer o mesmo roteiro com um carro normal, dirigindo apenas em estradas asfaltadas. Isso, contudo, deve aumentar um pouco o tempo de estrada entre Glen Helen e o Kings Canyon, o que impossibilitaria fazer o roteiro completo do dia 3. O terceiro dia seria basicamente de deslocamento entre Glen Helen e o Kings Canyon.

5) Supermercado

A região do Outback é bem carente de restaurantes e mercados. Além disso, é possível que você passe o dia inteiro dentro de um parque nacional fazendo trilhas. Por isso, é bom comprar suprimentos e água em Alice Springs, antes de pegar a estrada.

A nossa dica vai para o Coles, um supermercado grande, com ótimos preços e que tem todos os tipos de alimento. Para comprar bebidas alcoólicas, vá até a Liquor Store localizada no mesmo estacionamento que o Coles.

Pronto, agora você já está preparado para adentrar em um dos destinos mais incríveis e únicos da Austrália!

Canguru Alice Springs Desert Park outback

Alice Springs Desert Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Nos próximos posts, o nosso roteiro completo pelo Outback Australiano:

  • Dia 1: Alice Springs
  • Dia 2 e 3: Kings Canyon
  • Dia 4 e 5: Uluru-Kata Tjuta National Park

Gostou deste post? Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nenhum centavo a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Pensando em conhecer Alice Springs? Dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois. É simples, rápido e prático!

Conheça Alice Springs, a porta de entrada para as paisagens incríveis do Outback Australiano.

* A nossa hospedagem no Haven Backpackers Resort foi uma cortesia da gerência, mas todos os relatos descritos neste post foram baseados em nossas experiências reais e refletem a nossa opinião.

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

Deixe um comentário