Estocolmo – dicas e roteiros

2

Com quase 2 milhões de habitantes, Estocolmo é famosa por ser uma das capitais mais charmosas e agradáveis da Europa. Construída sobre 14 ilhas e cortada por diversos canais e pontes, a capital sueca encanta os visitantes com uma harmonia perfeita entre o clássico e o moderno.

Estocolmo, Suécia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Estocolmo, Suécia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Em outubro de 2015, visitamos Estocolmo em um roteiro de 2 dias. A seguir, descreveremos todos os detalhes e dicas dessa viagem!

1) Como chegar

  • Trem:  a companhia ferroviária nacional do país, a SJ (State Railways – Statens Järnvägar), liga Estocolmo a outras capitais Europeias, como Oslo (Noruega) e Copenhague (Dinamarca), e a diversas outras cidades suecas. Para acessar o site da empresa, clique aqui.
  • Ferry: a cidade é acessível por mar a partir de vários destinos no Báltico, como Tallinn (Estônia) e Helsinque (Finlândia). As principais companhias de ferry são a Tallink, Viking Line e Silja Line.
  • Avião: Existem dois aeroportos principais que atendem a cidade, Bromma e Arlanda. O primeiro opera fundamentalmente voos domésticos e alguns poucos destinos internacionais, enquanto que o segundo conecta a capital sueca a diversos destinos internacionais.

2) Como se deslocar do Aeroporto Internacional Arlanda ao centro da cidade

O Aeroporto Internacional Arlanda fica a aproximadamente 40 km do centro da cidade. É possível fazer esse trajeto de ônibus, pela empresa Flybussarna, que tem saídas a cada 5 ou 10 minutos e demora cerca de 40 minutos ou de trem pela Arlandaexpress, que parte para a Estação Central a cada 10 a 15 minutos e a demora cerca de 20 minutos.

Há ainda outras duas opções de trens regulares que partem da estação Arlanda Central (localizada entre o terminal 4 e 5). A primeira opção é o trem suburbano que liga Upsala e Älvsjö, com saídas a cada 30 minutos. Apesar de demorar cerca de 37 minutos para chegar à Estação Central de Estocolmo, é a opção mais barata. Outra possibilidade é pegar o trem regional da linha  Linköping – Stockholm – Gävle, que gasta 20 minutos para chegar a Estocolmo, mas com apenas uma saída a cada hora.

3) Onde se hospedar

Os principais bairros das cidade são: Gamla Stan (cidade velha), Norrmalm (parte nova da cidade),  Östermalm (uma das regiões mais caras),  Södermalm e Kungsholmen. O ideal é se hospedar o mais próximo possível de Gamla Stan, onde estão as principais atrações de Estocolmo e onde é possível sentir o clima mais medieval da cidade.

Ficamos hospedados no First Hotel Kungsbron, localizado no bairro Norrmalm, bem perto da Estação Central de Estocolmo e a 1,5 km à pé de Gamla Stan. A localização do hotel foi bastante providencial e nos possibilitou uma fácil locomoção por toda a cidade. Se você for ficar pouco tempo em Estocolmo, priorize a localização e ganhe tempo!

Bairro de Gamla Stan, Estocolmo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Bairro de Gamla Stan, Estocolmo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Outras opções de hospedagem bem avaliadas em Estocolmo:

4) Como visitar as principais atrações da cidade

De maneira geral, Cards que incluem diversas atrações turísticas são uma boa opção e apresentam bom custo-benefício em grandes cidades. Em Estocolmo, não foi diferente.

Compramos o Stockholm Pass, que inclui a entrada em mais de 60 atrações e museus, além de passeios de barco e de ônibus.

5) Como se locomover em Estocolmo

A cidade possui um ótimo sistema de transporte público. Para quem compra o Stockholm Pass é possível acrescentar ao seu passe um Travelcard, que permite viagens ilimitadas de metrô, bonde, ônibus e barco, pelo período de 1, 2, 3 ou 5 dias. Para maiores informações, consulte aqui.

O Travelcard não inclui a viagem do aeroporto para o centro da cidade com o Arlanda Express. No entanto, com ele, é possível fazer esse trajeto em um dos trens regionais que descrevemos no item 2. Neste caso, é necessário pagar uma taxa extra de SEK 85 para embarcar ou desembarcar na estação Arlanda Central.

Canais de Estocolmo por onde passam os barcos. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Canais de Estocolmo por onde passam os barcos. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

6) Moeda

A moeda local é a Coroa sueca, cuja forma abreviada é SEK. Cartões de crédito são aceitos em praticamente todos os lugares.

7) Idioma

O idioma local é o Sueco, mas, em Estocolmo, praticamente todo mundo fala um inglês perfeito.

8) Quando ir

Durante os meses de dezembro a março é comum a ocorrência de neves fortes, que cobrem Estocolmo durante várias semanas. Por esse motivo, para aqueles que pretendem explorar ao máximo a cidade, o ideal é fugir dos períodos de inverno.

No verão, os dias costumam durar mais (cerca de 18 horas) e as atrações costumam ficar abertas até mais tarde. As temperaturas são agradáveis e variam de 15° C a 23° C.

A nossa viagem ocorreu no outono. O horário de visitação das atrações nessa época não é tão grande quanto no verão, mas também não chegou a atrapalhar o nosso roteiro. Por outro lado, as paisagens típicas do outono europeu são fantásticas e a cidade é bem menos cheia do que no verão.

Outono em Estocolmo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Outono em Estocolmo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

9) Principais atrações de Estocolmo

  • Gamla Stan (cidade velha) e Palácio Real
  • Skansen (museu a céu aberto)
  • Vasamuseet (Barco Vasa)
  • Nordiska museet (museu da cultura sueca)
  • SkyView
  • Drottningholm Palace
Sky View, Estocolmo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Sky View, Estocolmo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

10) Gastronomia

Assim como em outros países da Escandinávia, a culinária da Suécia é profundamente marcada pelo frio extremo, que influencia a rotina de seus habitantes durante muitos meses do ano. Por causa das baixas temperaturas, o escandinavos desenvolveram diversas técnicas de conservação, tanto para os legumes (batata, repolho, pepino e nabo), quanto para os produtos de origem animal (carnes e peixes).

Das técnicas de conservação, os suecos criaram o famoso Gravadlax, uma prato à base de salmão cru envolto em uma generosa camada de sal e ervas. Estar na Suécia é uma ótima oportunidade para provar esse prato tão especial. É possível encontrá-lo em restaurantes de comida típica ou mesmo nas gôndolas dos supermercados. Vale à pena experimentar!

Além do salmão, o arenque e a anchova também são bastante presentes na mesa dos suecos e podem ser preparados na forma de conservas, assados ou como ingrediente no famoso Tentação de Jansson.

Ainda oriundo do mar, encontramos o Skagen, uma espécie sueca do coquetel de camarão, normalmente consumido com pão tostado. Uma surpresa!

Skagen de camarão com pão sueco. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Skagen de camarão com pão sueco. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

As almôndegas também são bastante comuns na Suécia, e costumam ser servidas com purê de batatas ou batatas cozidas e molho quente de Lingonberry (uma espécie de Mirtilo vermelho)

Almôndegas Suecas com Batatas ao Dill e molho de Mirtilo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Almôndegas Suecas com batatas ao dill e molho de mirtilo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Por falar em Mirtilo, esbalde-se nos doces e nas suas milhares de frutas vermelhas!!!

Sobremesa Sueca. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Sobremesa Sueca. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Gostou das nossas dicas? Clique na foto abaixo e salve este roteiro no seu Pinterest para consultá-lo novamente depois!

estocolmo

*** Índice de Posts da Suécia ***

Quer nos ajudar a construir conteúdos gratuitos como estes? Reserve os seus hotéis para qualquer destino pela caixa do Booking na lateral do nosso site. Você não paga nenhum centavo a mais por isso, mas o nosso blog recebe uma pequena comissão. Obrigado e até a próxima. 😉

 

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

2 Comentários

Deixe um comentário