O que fazer em Auckland – dicas, hospedagem e pontos de interesse

12

Fundada em 1840, Auckland é a maior cidade da Nova Zelândia, concentrando cerca de 31% da população do país.

Auckland Nova Zelândia

Auckland, Nova Zelândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Embora a capital neozelandesa seja Wellington, Auckland é o principal centro financeiro e econômico da Nova Zelândia e uma das suas principais portas de entrada. É comum encontrarmos bons preços de voos internacionais para Auckland a partir de Santiago (Chile); Sydney, Brisbane e Melbourne (Austrália); Nadi (Fiji); e Estados Unidos, além de uma infinidade de voos nacionais.

Em meio a um ambiente urbano, Auckland é uma cidade descontraída, que conjuga compras, boa gastronomia e museus com parques urbanos, opções de trilhas, praias e paisagens vulcânicas. Em resumo, há opções de passeios para todos os gostos, bolsos e idades.

No post de hoje, descreveremos as principais atrações da cidade, que visitamos em 2 dias incompletos. Ao final do post, traremos outras sugestões, para aqueles que ficarão ainda mais tempo em Auckland.

1) Principais atrações de Auckland

1.1) Skytower

A Skytower é uma torre de 328 metros de altura, localizada no coração da cidade, dentro do Skycity.

O Skycity, por sua vez, abriga, além da torre, bares, restaurantes, lojas, café, dois hotéis, um teatro e um cassino.

Para subir no topo da torre e ter a vista mais alta da cidade, é necessário comprar o ingresso que dá acesso a três plataformas de observação:  Sky Deck (220 metros de altura), Main Observation (186 metros) e o Sky Cafe (182 metros). Caso você queira visitar a torre de dia e de noite, para ter visões diferentes, é possível pagar mais 4 dólares e voltar em até 24 horas. Consulte os valores atualizados no site oficial da Skytower.

Skytower Auckland Nova Zelândia

Auckland vista da plataforma de observação da Skytower. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

INFORMAÇÕES ÚTEIS:

  • Horário de funcionamento: diariamente das 09:00 às 22:00 (maio a outubro) e entre os meses de novembro a abril, das 08:30 às 22:30 (domingo a quinta) e das 08:30 às 23:30 (sexta e sábado).
  • Endereço: Sky Tower – SKYCITY Auckland, Cnr Victoria & Federal Streets, Auckland Central, Auckland, 1010, New Zealand.
  • Outras atividades no Skytower: Skyjump e Skywalk (próximo item).

 

1.2) Skyjump e Skywalk

O Skyjump e o Skywalk são duas atividades que podem ser feitas no alto da Skytower e que tem preços diferenciados.

  • Skywalk

O Skywallk é um caminho estreito e demarcado, localizado em volta da torre, a 192 metros de altura. Sem nenhum tipo de corrimão, você andará preso por cordas em uma roupa especial, tendo uma vista 360 graus da cidade e se sentindo “totalmente solto” no ar.

Skywalk adrenalina Nova Zelândia

Trajeto a ser percorrido no Skywalk. Foto: www.skywalk.co.nz

Ainda não visualizou o perigo? Então veja o vídeo oficial de divulgação do Skywalk abaixo:

  • Skyjump

Para aqueles que querem ainda mais adrenalina, há também o Skyjump, que foi a opção que escolhemos!!!

Skyjump Auckland

Cristina prestes a pular de 192 metros de altura! Foto: www.skywalk.co.nz

O Skyjump é um salto em queda livre de uma altura de 192 metros, considerado o mais alto da Nova Zelândia e que pode chegar a uma velocidade de 85 km por hora.

  • Skyjump é a mesma coisa que Bungy Jump?

Diferentemente do Bungy Jump, no Skyjump você não é preso por uma corda na perna e sim nas costas. Outra diferença é que no SkyJump você não fica “quicando” no final do salto. Na verdade, quando você começa a se aproximar do chão, o Skyjump faz uma leve freada e você aterriza em uma plataforma.

  • Funcionamento do Skyjump

Com relação à segurança, ficamos super satisfeitos com a qualidade e a responsabilidade da empresa. Antes de subirmos até o ponto do pulo, recebemos várias orientações e somos pesados.

Em seguida, colocamos uma roupa especial, que é totalmente conferida por um funcionário. Não é permitido carregar nenhum objeto, nem usar sapatos abertos. Para aqueles que não estão calçados adequadamente, eles emprestam uma espécie de sapatilha.

Roteiro Auckland

Renato prestes a pular de 192 metros de altura! Foto: www.skywalk.co.nz

Todos os pertences são deixados em um armário trancado, inclusive celulares e câmeras fotográficas. As imagens durante o pulo serão registradas por uma GoPro da própria empresa, que será acoplada no seu pulso.

Assim que subimos até a plataforma do pulo, todos os pontos são verificados novamente por outro funcionário. É importante mencionar que tudo é conferido duas vezes e por pessoas diferentes. Em resumo, um funcionário prende você nas cordas e fala o que está sendo feito. Em seguida, o outro confere e fala novamente. Todas as ações são filmadas para garantir a qualidade do serviço.

Tudo pronto e conferido, é hora de “caminhar para a forca”, rs. O último funcionário contará até 3 e soltará você. O bom disso tudo é que você não precisa pular e nem fazer nada. Basta abrir as mãos, relaxar e curtir o movimento!!!

A seguir, os vídeos dos nossos pulos!!!

  • Salto Cristina:

  • Salto Renato:

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

  • Quem faz o Skyjump ou o Skywalk não precisa pagar o ticket para subir nas plataformas de observação da Skytower. Após o pulo ou a caminhada, você subirá gratuitamente até as plataformas.
  • Há preços especiais para quem quer fazer as duas atividades. Confira todos os valores atualizados clicando aqui. 
  • Horário de funcionamento: das 10:00 às 17:15. Se os ventos estiverem acima de 70 km/hora ou as condições climáticas não forem favoráveis, o passeio pode ser cancelado. Dica: agende o seu horário pela internet, principalmente se você for em alta temporada.

 

1.3) New Zealand Maritime Museum (Museu Marítimo da Nova Zelândia)

A cidade de Auckland é banhada pelo Mar da Tasmânia e pelo Oceano Pacífico, que formam diversas baías e ilhas propícias para a prática de esportes náuticos.

Para ver a paixão dos habitantes de Auckland pela navegação, bastar dar uma voltinha em Waitemata Harbour e logo você verá dezenas de veleiros por lá. Não é à toa que Auckland é carinhosamente conhecida como “A cidade das velas”.

Waitemata Harbour Auckland

Waitemata Harbour, Auckland. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O New Zealand Maritime Museum, localizado no coração do Viaduct Harbour, é uma ótima oportunidade para conhecer as diversas migrações pelo mar que deram origem ao povo neozelandês, desde os polinésios até histórias de importantes exploradores e velejadores europeus como Abel Tasman, capitão Thomas Cook e Sir Peter Blake.

O museu está dividido em 9 ambientes, que abrigam um teatro; uma área para eventos e atividades educativas; uma área dedicada aos imigrantes que chegaram à região entre 1840 e 1960s;  uma exposição que conta a história de Sir Peter Blake, o maior orgulho para o iatismo neozelandês; uma sala com coleções de arte relacionadas à navegação; uma biblioteca; um setor dedicado aos Kiwis e à costa marítima; e um salão com modelos de barcos usados ao longo da história.

Museu marítimo de Auckland

Modelo de barco utilizado pelos povos polinésios. New Zealand Maritime Museum. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O que fazer em Auckland

Setor dedicado aos imigrantes que chegaram à Nova Zelândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O museu ainda oferece oportunidades para você velejar nas águas de Waitemata Harbour e opções de tours guiados. Veja esses passeios no site oficial do New Zealand Maritime Museum.

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

  • Horário de funcionamento: aberto diariamente, das 10:00 às 17:00 (última admissão às 16:00).
  • Tempo estimado para a visita: 2 horas.
  • Mapa do museu com informações e as exposições: clique aqui.

 

1.4) Waitemata Harbour

O Waitemata Harbour é o principal porto que liga Auckland ao mar.

A partir dele, é possível fazer passeios de veleiro, iate, canoas e barcos a jato. Também é de lá que saem embarcações para visitar diversas ilhas na região ou mesmo para a prática de observação de baleia.

A orla é bastante charmosa e conta com vários restaurantes de frutos do mar, cafés, centro de informações e lojinhas de souvenir.

Este é um excelente ponto de partida para explorar as atrações da cidade.

1.5) Albert Park

Entrando um pouco para a área central da cidade, você verá o Albert Park, um parque urbano gratuito, com árvores nativas, jardins, fonte, estátuas, obras de arte e memoriais.

Albert Park Auckland

Albert Park, Auckland. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Se o seu tempo estiver corrido, esta não é a atração mais empolgante da cidade.

1.6) Auckland Domain

Formado há mais de 14.000 anos atrás, devido às atividades vulcânicas na região, a área do Domain abriga hoje um parque urbano, aberto aos pedestres 24 horas por dia.

Lá você encontrará trilhas que passam entre árvores nativas e obras de arte ao ar livre; lagos habitados por patos; quadras de esporte; um anfiteatro natural que recebe diversos eventos ao ar livre; além de espaços para descanso e lazer.

Auckland Domain

Caminhada no Auckland Domain. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

No alto da colina, você verá ainda o Auckland War Memorial, um dos principais museus da Nova Zelândia, que conta a história do país.

1.7) Auckland War Memorial (Museu de Auckland)

Localizado dentro do parque Auckland Domain, o Auckland War Memorial ou simplesmente Museu de Auckland é um museu bastante completo, que exibe coleções sobre a cultura Maori e os povos do pacífico; sobre a história natural e a biologia do país; além de coleções que retratam as guerras dais quais a Nova Zelândia participou.

Auckland War Memorial

Auckland War Memorial. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O museu é dividido em 3 andares:

  • Térreo:

Neste andar, você encontrará informações sobre os grandes navegadores do Pacífico (os polinésios e os povos Maoris que se estabeleceram na Nova Zelândia) e dos primeiros europeus que chegaram e colonizaram o país no século XIX.

No geral, esse acervo é bastante completo e oferece boas oportunidades de aprendizado sobre as diversas culturas dos povos do Pacífico.

Auckland War Memorial

Exposição sobre os povos do Pacífico. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Além de artefatos e canoas, você também verá construções originais dos povos Maoris, como o Hotunui, uma antiga casa de reunião, adornada com temas Maoris.

Pontos de interesse Auckland

Casa de reunião dos povos Maoris. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Primeiro andar:

Aqui você encontrará exposições sobre os oceanos, as florestas, os vulcões e toda a fauna e a flora que formam a região onde se encontra a Nova Zelândia.

Não deixe de visitar o simulador de uma erupção vulcânica na cidade de Auckland. Sem dúvida, uma experiência bastante interessante e diferente para nós brasileiros.

Roteiro dias Nova Zelândia

Simulador de uma erupção vulcânica. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Segundo andar:

Este andar consiste em um memorial de guerra, onde estão expostas coleções sobre as guerras que a Nova Zelândia se envolveu ao longo da história.

Auckland War Memorial

Modelo de avião utilizado em guerra. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Os conflitos exibidos datam dos séculos XIX e XX e retratam tanto batalhas ocorridas no interior do país, como outras internacionais.

Das mais sangrentas, destaque para a Batalha de Galipoli na Turquia, quando milhares de soldados neozelandeses perderam suas vidas no campo de batalha.

Se você se interessa por este tema, não deixe de conhecer a exposição sobre Galipoli que visitamos no museu Te Papa em Wellington. 

INFORMAÇÕES IMPORTANTES:

  • Horário de funcionamento: o museu abre diariamente das 10:00 às 17:00.
  • Ingressos: os valores variam para adulto, crianças e famílias. Consulte os preços atualizados clicando aqui.
  • Tempo estimado da visita por conta própria: 1 a 2 horas.
  • Tours: há 2 opções de visitas guiadas (Highlights Tour e Māori Cultural Performance). Esses tours são pagos à parte. Saiba mais no site oficial do Auckland Museum.

1.8) Coast to Coast Walkway

Em um total de 16 km, esta trilha urbana leva você de uma costa a outra da cidade (de Waitemata Harbour até Manukau Harbour), passando por parques urbanos, vulcões, mirantes, museus e subúrbios históricos.

Em resumo, se você tem tempo e disposição, esta é a melhor maneira de conhecer Auckland a pé.

Infelizmente, tivemos alguns atrasos para chegar na cidade e não conseguimos fazer a trilha completa. A nossa caminhada passou por Waitemata Harbour, Albert Park, Auckland DomainAuckland War Memorial. Não tivemos tempo para chegar ao Monte Eden DomainOne Tree Hill Domain e Manukau Harbour.

Se você tiver tempo suficiente, recomendamos que você faça essa caminhada, que tem um tempo estimado de 4 a 5 horas. Acrescente algumas horas para visitar as atrações, comer e descansar. Este é um passeio para 1 dia inteiro. Você terá uma visão bem completa da cidade de Auckland!

Para voltar do Manukau Harbour para o Waitemata Harbour, basta pegar transporte público (trem ou ônibus):

  • Pegar o trem na Onehunga Train Station e descer na Britomart Train Station
  • Ou pegar os ônibus 302 ou 309 em direção a City Centre

Confira aqui o mapa completo da trilha Coast to Coast.

2) Outras atrações (não visitamos)

Além do Monte Eden Domain e do One Tree Hill Domain, que você poder visitar ao fazer a trilha Coast to Coast Walkway, é possível explorar as ilhas do Hauraki Gulf, caso você tenha mais dias na cidade.

Algumas ilhas sugeridas pelo escritório de turismo da Nova ZelândiaRangitotoWaiheke Island, Motuihe Island, Kawau Island, Tiritiri MatangiGreat Barrier Island.

3) Onde se hospedar em Auckland

Auckland é uma cidade que pode ser explorada facilmente a pé ou conjugando com transporte público.

Por isso, o ideal é que você fique hospedado próximo ao New Zealand Maritime Museum, onde poderá facilmente começar o seu roteiro a pé.

onde se hospedar em Auckland

Rua do Nomads Auckland Backpackers. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Ficamos hospedados no Nomads Auckland Backpackers, localizado em um edifício histórico, a apenas 750 metros do museu, no coração do CBD (centro financeiro). Na região do hostel há uma série de restaurantes, fast food e lojinhas.

Nomads Auckland Backpackers

Prédio histórico do Nomads Auckland Backpackers. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Quartos do Nomads Auckland Backpackers

Além de quartos coletivos com banheiro compartilhado, o Nomads Auckland Backpackers oferece também quartos de casal com banheiro privativo. Esta foi a opção que escolhemos e que nos atendeu muito bem.

Nomads Auckland Backpackers

Quarto de casal do Nomads Auckland Backpackers. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Estrutura do Nomads Auckland Backpackers

A recepção do hostel funciona 24 horas e organiza atividades gratuitas, como passeios turísticos a pé, passeios a pubs e churrascos.

O hostel dispões de uma cozinha compartilhada no último andar, com vista panorâmica da cidade e do porto.

hostel Auckland

Cozinha e terraço do Nomads Auckland Backpackers. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Há ainda uma sauna e uma jacuzzi à disposição dos hóspedes.

Em resumo, o Nomads Auckland Backpackers é super bem localizado, oferece uma boa estrutura de lazer e um custo-benefício excelente.

E assim finalizamos o nosso roteiro de 23 dias pela Nova Zelândia: um país seguro, que abriga paisagens que parecem ser de outro mundo, praias paradisíacas, vulcões, uma infraestrutura turística muito organizada e um povo extremamente educado e gentil. Uma viagem que entrará para a história do “Pegadas“, que recomendamos muito e que já sentimos saudades!

Quer saber como apoiar o projeto Pegadas na Estrada sem gastar nenhum centavo?

Clique aqui e saiba como. É rápido, fácil e nos ajuda bastante. Até a próxima 🙂

Pensando em conhecer Auckland? Dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois.

Roteiro dicas Auckland Nova Zelândia

A nossa hospedagem no Nomads Auckland Backpackers e os ingressos para o Sky Jump, Auckland War Memorial e Museu Marítimo foram uma cortesia dessas empresas. Todos os relatos descritos neste post, no entanto, foram baseados em nossas experiências reais e refletem a nossa opinião.

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

12 Comentários

  1. Genteeee, que incrível!
    Mas você é corajosa demais, acho que não passaria nem perto disso aí, rsrsr.
    Sou completamente medrosa com altura, mas com certeza o Igor iria se jogar sei lá quantas vezes.
    Deixei anotadinho aqui para quando formos para esses lados e ele quiser se aventurar hihihi.
    Beiijoss e ameiii o texto!

    • Olá, Cris! Nem eu sabia que daria conta, rs. Mas foi uma experiência incrível e que recomendo demais. Uma viagem à Nova Zelândia precisa terminar assim!!! Ahh, esqueci de mencionar: foi no dia do meu aniversário! Beijos, Cristina.

  2. camila s siqueira on

    Sensanciona! Muita coragem esse salto. Agora amei muito foi o museu, nossa, adoro descobrir a história de um povo para poder entender como foram parar ali… amei

  3. Adorei o post! Super completo… Sou louca para conhecer a Nova Zelândia, como todo bom fã e viciado em Senhor dos Anéis kkkk… (eu acho que já vi cada um dos filmes da trilogia umas 15x !!!) … mas esse salto aí do Skyjump que vi o vídeo no instagram de vocês também, é para os fortes, viu? Eu acho que passaria longe… kkkk… não tenho medo de altura, mas morro de medo de pular! Como entender?
    Beijinhos,
    Lily

    • Olá, Lily! Fã do Senhor dos Anéis precisa ir na Nova Zelândia!!! Lá é tão lindo, o filme foi gravado em tantos lugares diferentes! Ahh, e tem que fazer a trilha Tongariro, hein? Obrigado pelo comentário. Abraços, Cristina e Renato.

Deixe um comentário