Roteiro de 2 dias em Stavanger, Noruega. Dia 2: Pulpit Rock ( Preikestolen)

5

Pulpit Rock ou Preikestolen é um precipício de 600 metros de altura, localizado no Lysefjord, a 35 km de Stavanger.

Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

É um dos passeios mais fotografáveis da Noruega, e não é à toa. Seu topo é um mirante natural de rocha plana, de onde se tem uma vista espetacular de todo o fiorde.

O lugar é tão impressionante que foi um dos cenários que serviu de inspiração visual e cultural para o desenho Frozen. Além disso, foi lá onde foi filmada a famosa cena do último episódio da Segunda Temporada da Série Vikings, onde Ragnar, diante do caos em que se encontrava a Noruega, mergulhou em uma profunda reflexão.

Veja a cena da série Vikings e se apaixone pelo Pulpit Rock:

Para chegar ao Pulpit Rock, é necessário fazer uma trilha demarcada (com o símbolo T pintado nas pedras) de cerca de 2 a 2,5 horas para ir e 1,5 a 2 horas para voltar. Apesar da trilha não ser considerada difícil, ela requer bom condicionamento físico. Vimos muitas crianças e idosos pelo caminho, cada um no seu ritmo.

A trilha começa em um grande estacionamento em Preikestolen Fjellstue, onde você encontrará banheiros e água para beber. A entrada na trilha é gratuita, mas o estacionamento é pago.

Subindo a trilha para o Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Subindo a trilha para o Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Como chegar ao Pulpit Rock (Preikestolen Fjellstue)

1) De carro

Para quem está de carro, há duas opções para chegar ao Preikestolen, a partir de Stavanger:

1ª opção: pegue a rodovia E39 ao sul e depois a RV13 a leste até Lauvik, de onde parte o ferry para Oanes. Em Oanes, continue na RV13, seguindo as placas para Preikestolen. Esse foi o caminho que fizemos.

2ª opção: pegue o ferry de Stavanger para Tau e de lá siga pela rodovia RV13 ao sul. Siga as placas para Preikestolen.

2) De ônibus

– Na alta temporada (de abril a setembro), é possível pegar um ferry de Stavanger (no Fiskepirterminalen) em direção a Tau e de lá pegar um ônibus para Preikestolen Fjellstue. Os horários do ônibus coincidem com a chegada do ferry, facilitando, e muito, a vida do turista.

– Na baixa estação (de outubro a março), no entanto, não há essa opção. Você precisará pegar o ferry para Tau e, em seguida, o ônibus para Joperland. Em Joperland, será necessário pegar um táxi até Preikestolen Fjellstue ou encarar, a pé, 9 km de subida até o início da trilha.

Como fomos em outubro e achamos que seria furada depender de táxi ou andar mais 9 km, alugamos um carro na Hertz de Stavanger. A localização da agência foi muita boa, bem próxima ao Byterminalen, e o carro alugado, um Up novinho. Antes de alugar o carro, pesquise bastante. Vale a pena consultar o site da Rental Cars para encontrar as melhores cotações.

A subida até o Pulpit Rock, em si, já é um grande passeio. No caminho, passamos por lindas paisagens e até um lugar para mergulho. À medida em que subíamos, a vista dos fiordes ia se tornando mais ampla e maravilhosa.

Vista da trilha para o Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Vista da trilha para o Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Mergulho na trilha do Pulpit Rock

Mergulho na trilha do Pulpit Rock

Contemplando a vista da trilha para o Pulpit Rock. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Contemplando a vista da trilha para o Pulpit Rock. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

No caminho, não há banheiros, nem água, nem lanchonete. Leve bastante água e o seu próprio lanche.

Chegando no topo, a recompensa: Pulpit Rock é tudo aquilo o que ouvíamos falar e mais um pouco.

Pulpit Rock

Chegada no topo do Pulpit Rock

No período em que fomos, o topo da rocha não estava tão cheio e foi bem fácil de fotografar e contemplar os fiordes. No verão, no entanto, isso não acontece. Se você for nessa época, tente pegar a trilha o mais cedo possível.

Cuidado extra

Muitas pessoas chegam na beirada do mirante para tirar a “melhor foto”. Não faça isso, jamais! O vento bate de repente e, numa dessas, você vai junto. Estávamos bem no meio da plataforma (graças à Deus), quando uma rajada de vento nos pegou. O óculos escuro do Renato voou na hora fiorde abaixo, ele quase perdeu a mochila e também a esposa. Cuidado!

Pulpit Rock

Pulpit Rock,Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O que faríamos diferente

Se tivéssemos 1 dia a mais na viagem, e um pouco mais de preparo físico, dormiríamos mais um dia na região. Nesse caso, faríamos a trilha até o Kjeragbolten, também no Lysefjord, que consiste em uma famosa rocha em forma de bola, presa na fenda entre duas montanhas a uma altura vertiginosa.

A trilha dura em torno de 6 horas ida e volta e não é para iniciantes. Além disso, não é recomendável ir na época em que fomos. Outubro é um mês bem chuvoso nesta região e isso, na altitude de Kjerag, pode significar gelo e neve, tornando a trilha bastante escorregadia e perigosa. Além disso, a estrada que leva ao início da trilha costuma fechar com o acúmulo da neve nessa época.

Se você tem mais dias, mais preparo físico e vai no verão, não deixe de visitá-lo. Depois, você conta pra gente!

Tem alguma dúvida, alguma sugestão? Precisa de ajuda para montar o seu roteiro na Noruega? Fique à vontade para nos contactar: contato@pegadasnaestrada.com.br.

Pulpit Rock

Nós no Pulpit Rock, Noruega. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Reserve seu hotel pela caixa do Booking.com aqui embaixo e ajude a manter o Pegadas no ar. Você não paga nada a mais por isso e o Booking.com nos repassa uma pequena comissão.



Booking.com

*** Índice de Posts da Noruega ***

– Noruega – dicas e roteiros
– Roteiro de 2 dias em Stavanger – Dia 1: centro histórico
– De Stavanger a Bergen: roteiro de 3 dias em Bergen. Dia 1: Monte Floyen
– Roteiro de 3 dias em Bergen. Dia 2: Norway in a Nutshel
– Roteiro de 3 dias em Bergen. Dia 3: centro histórico
– O que fazer em Oslo – Roteiro de 3 dias: primeiro dia
– O que fazer em Oslo – Roteiro de 3 dias: segundo dia

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

5 Comentários

  1. Ola,
    Gostaria de saber os custos para ir de carro? vc mencionou que é necessario pagar estacionamo na base da montanha alem do ferry certo?
    Obrigada

    • Olá, Renata!
      Obrigado pela visita!

      Os valores pagos em outubro de 2015 foram:

      – aluguel do carro na Hertz (1 dia): 840 NOK (U$100)
      – ferry Lauvik-Oanes: 100 NOK cada trecho (total 200 NOK/US$24 ida e volta)
      – estacionamento na entrada da trilha: 100 NOK (US$12)
      Abraços e boa viagem!

  2. Gente, muito boas todas as dicas e descrições de vocês! Parabéns pelo blog. Estão ajudando muito no meu planejamento. Pretendo ir à Noruega também em outubro. Como vou sozinho, não pretendo alugar carro. Vocês teriam uma ideia do valor do táxi de Joperland até Pulpit Rock? Já li alguns sites e, de modo geral, as pessoas não recomendam ir pra Stavanger com pouco tempo (2 dias) nessa época, já que o tempo pode fechar e frustrar a subida até Pulpit Rock, o que seria uma perda de tempo e $$$. Qual a opinião de vcs? Cheguei a considerar desistir de Stavanger e visitar Trondhein ou ficar mais tempo em Bergen, Tronso ou até esticar uns dias em Copenhagen. Indicariam algum outro lugar pra fazer alguma trilha interessante? Grande abraço! Obrigado e tudo de melhor pra vocês!

  3. Renato de Araújo on

    Olá,

    Desculpe-nos a demora em responder. Estávamos em uma viagem por 19 parques nacionais e muitas trilhas. Em breve contaremos tudo aqui no blog também!

    Com relação às suas dúvidas:

    1) O taxi de Jorperland até começo da trilha deve custar entre 300-400 NOK cada trecho. Neste caso, você deve combinar com o taxista um horário para te buscar na volta, já que não há ponto de taxi por lá. Foi por isso que acabamos alugando um carro, pois só o taxi já era praticamento o preço do aluguel do carro. Segue um link para os taxis de Jorperland http://www.gulesider.no/finn:taxi+j%C3%B8rpeland.

    2) Durante as nossas pesquisas, também lemos que em outubro chovia bastante na região e ficamos com a mesma dúvida. Resolvemos arriscar e reservar apenas dois dias para Stavanger, o dia da chegada e mais um dia para a Pulpit Rock. Foi um risco, mas deu certo. Demos sorte e o tempo estava ótimo no dia. De qualquer forma, estávamos preparados, psicologicamente inclusive, para fazer a trilha mesmo na chuva. Pensamos em não fazer apenas se estivesse nevando ou chovendo bastante.

    Em Bergen também há algumas trilhas, mas lá é quase certo que vai estar chovendo. Em Tromso, a mesma coisa. Se estiver chovendo, atrapalha a sua viagem do mesmo jeito que atrapalharia em Stavanger.

    Copenhagen já é um lugar que dá para aproveitar bem com chuva ou com sol e foi um destino que gostamos bastante. Vale a pena visitar. Em resumo, o ideal é que você vá para aquele lugar que você tem mais vontade de conhecer e aceitar os riscos. Quem gosta de trilhas e outdoor sempre está sujeito às condições climáticas. Nas nossas viagens a gente programa as trilhas e torce para dar sol! As vezes ele aparece, as vezes não, rs.

    Esperamos que as nossas dicas o ajudem e que você aproveite bastante a Escandinávia, lugar incrível!

    Abraços.

    Renato e Cristina

Deixe um comentário