Wellington em 2 dias: as melhores atrações

0

Capital da Nova Zelândia, Wellington é também um importante centro cultural, econômico e turístico do país. A cidade, que faz a ligação entre as ilhas norte e sul da Nova Zelândia, abriga o incrível museu Te Papa, estúdios cinematográficos neozelandeses, escolas de Ballet renomadas e uma orquestra sinfônica.

Além de atividades culturais, Wellington também está de braços abertos para o turista que curte atividades ao ar livre ou uma tranquila caminhada pelo jardim botânico da cidade.

Em maio de 2017, estivemos em Wellington por 2 dias. No post de hoje, detalharemos o nosso roteiro e falaremos sobre onde se hospedar e como chegar.

Wellington em 2 dias

Roteiro de 2 dias em Wellington. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

1) O que fazer em Wellington em 2 dias

1.1) Cable Car e Museu do Cable Car

Se o dia estiver bonito, aproveite para subir de Cable Car até o Jardim Botânico de Wellington e ter uma das melhores vistas da cidade. Se o dia estiver chovendo, no entanto, comece o seu roteiro pelo Museu Te Papa, que falaremos no item 1.6.

O ticket para andar no Cable Car é super baratinho (pagamos 4 dólares por pessoa o trecho) e pode ser comprado subida/descida ou apenas subida.

Compramos apenas a subida, pois fizemos o trecho de descida a pé para que pudéssemos conhecer outras atrações no caminho. Aliás, é possível pegar o mapa de caminhadas gratuito na entrada do Cable Car ou clicando aqui.

Cable Car Wellington

Subida do Cable Car em Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Assim que você chega no topo da montanha, você verá um pequeno museu gratuito. Esse museu conta a história do Cable Car e expõe 2 unidades originais que operaram antes do modelo atual.

Cable Car Museum Wellington

Museu do Cable Car, Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Outras informações:

  • Horário de funcionamento do Cable Car: 2ª a 6ª-feira (07:00 às 22:00), sábado (08:30 às 22:00) e domingo (08:30 às 21:00).
  • Horário de funcionamento do museu: diariamente (09:30 às 17:00).
  • No topo da montanha você também encontrará uma cafeteria e banheiros públicos.

1.2) Jardim Botânico

Saindo do museu do Cable Car, você logo verá o Jardim Botânico, cuja a entrada também é gratuita. Se você ainda não pegou o mapa de caminhadas, aproveite para pegá-lo neste momento.

Existem 2 opções principais de caminhadas: a Cable Car Loop Walk, que dura cerca de 30 minutos e volta para a entrada do museu (ideal para quem vai descer de Cable Car), e a Downhill path to city, que desce a montanha até o Parlamento da Nova Zelândia. Optamos por fazer esta última para conhecer mais do Jardim Botânico e não nos arrependemos. O parque é super bem cuidado, com diversos canteiros com flores de várias partes do mundo, o que torna a caminhada bem agradável.

O que fazer em Wellington

Caminhada pelo Jardim Botânico de Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Atrações de Wellington

Jardim Botânico de Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

1.3) Catedral Old Saint Paul’s

A Catedral Old Saint Paul’s é uma enorme igreja anglicana, construída em madeira, entre 1865 e 1866.

1.4) Parlamento da Nova Zelândia

O Parlamento da Nova Zelândia está localizado em Wellington e é composto pela Câmara dos Representantes, eleitos diretamente pelo povo, e pela rainha da Nova Zelândia, Elizabeth II, que também é a rainha da Inglaterra.

É possível fazer uma visita guiada e gratuita ao interior do parlamento. Existem dois tours diários disponíveis: “Introducing Parliament”, que dura cerca de 60 minutos e aprofunda um pouco sobre o processo do parlamento na Nova Zelândia, e o “Highlights of Parliament”, que é mais compacto e dura cerca de 30 minutos.

Há também um tour mensal, o “Art tours”, que dura cerca de 90 minutos e foca nas coleções de arte do Parlamento.

Para conhecer os detalhes e horários de cada tour, consulte o site oficial do Parlamento Neozelandês.

Curiosidade:

Devido à arquitetura do Parlamento, que parece uma colmeia, a casa do povo neozelandês é carinhosamente apelidada de Beehive. Repare nas placas de rua próximas a ele: você encontrará uma abelhinha em cima, rs.

Turismo viagem Wellington Nova Zelândia

Parlamento da Nova Zelândia em forma de Colmeia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

1.5) Wellington Harbour

Um dos símbolos da cidade, o Wellington Harbour foi totalmente revitalizado e hoje exibe uma atmosfera descontraída, com boas opções de restaurantes de frutos do mar e pubs com vista para a baía. O lugar também é adequado para quem curte andar de bicicleta ou praticar caiaque / stand up paddle.

A poucos passos dali, você encontrará o Museu Te Papa, que é, sem dúvida, a atração mais sensacional de Wellington.

1.6) Museu Te Papa

Nossa atração preferida, o Te Papa é um museu gratuito (algumas poucas exposições são pagas), formado por 6 andares que retratam a história dos povos que formaram a Nova Zelândia.

Além das exibições antropológicas, que são interessantíssimas, o museu ainda exibe informações sobre diversos desastres naturais causados no país; sobre a diversidade animal e vegetal da Nova Zelândia e sobre a cultura Mãori. Tudo de uma forma super interativa e tecnológica.

Museu Te Papa

Cultura Mãori no museu Te Papa. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Outra exposição gratuita do museu que ficamos encantados, e até emocionados, foi Galípoli. Essa sessão, retrata a sangrenta participação dos neozelandeses na Batalha de Galípoli contra os turcos, contada através dos olhos e das palavras daqueles que enfrentaram os dias mais sombrios da guerra.

Muito bem elaborada, a exposição apresenta bonecos gigantes, que tornam a experiência ainda mais real. Repare nas cicatrizes, nos pelos das pernas ou nos calos das mãos. Nesse momento, parece que estamos realmente diante dos soldados e das suas angústias. É de arrepiar!

Galipolli Te Papa Museum

Bonecos super reais na exposição Galípoli. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

museu Te Papa

Bonecos super reais na exposição Galípoli. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Para ter uma boa vista da cidade, vá até a área externa, localizada no 6º andar do museu.

1.7) Oriental Bay Beach (Oriental Parade)

A Oriental Bay Beach é a praia mais popular de Wellington, onde os locais vão para caminhar, praticar esportes aquáticos ou nadar nos dias quentes.

Não espere uma praia como nós brasileiros estamos acostumados, mas vale a pena dar uma parada e fazer uma breve caminhada na orla. Para quem está de carro, ela já está no caminho para o Mount Victoria. Faça uma paradinha e aprecie a rotina dos neozelandeses.

Roteiro de 2 dias em Wellington

Oriental Bay Beach, Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

1.8) Mount Victoria

Saindo da Oriental Parade, suba de carro até o Mount Victoria para ter uma vista 360 graus da cidade. Lá você encontrará um estacionamento gratuito e um lookout.

Wellington em 2 dias

Vista do Mount Victoria, Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Descendo mais um pouco, você verá um enorme parque com várias opções de caminhadas e banheiros públicos.

Em resumo, essas são as principais atrações da cidade que podem ser exploradas em 2 dias. Tente montar o seu roteiro de acordo com o tempo no dia. Se estiver com sol, dê preferência para as atividades ao ar livre, como o Jardim Botânico e o Mount Victoria. No caso de chuva, corra para o Museu Te Papa e para algum restaurante de frutos do mar no Wellington Harbour. Faça sol ou faça chuva, você com certeza poderá aproveitar a sua estadia na cidade!

Atrações Wellington Nova Zelândia

Mount Victoria, Wellington. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

2) Onde se hospedar em Wellington

Como em toda cidade grande, ficar bem localizado facilita demais a vida do viajante!

De maneira geral, as principais atrações de Wellington concentram-se em torno do Wellington Harbour. Por isso, se você estiver nessa região, estará bem localizado.

Ficamos hospedados no Rydges, um hotel completíssimo, localizado a 600 metros da entrada do Cable Car, a 1,3 km do museu Te Papa e a 500 metros do Wellington Harbour, ou seja, no coração da cidade.

O hotel oferece toda uma estrutura de lazer, com piscina aquecida, spa, sauna, academia e espaços para eventos. Os quartos são mega completos, com microondas, frigobar, cafeteira, secador de cabelo, cama super macia e decoração contemporânea. Aliás, os quartos acabaram de ser reformados e estão novinhos em folha!

Onde se hospedar em Wellington

Área de lazer do Rydges de Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Hotel Wellington

Noite romântica no Rydges! Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

Hotel Rydges Wellington

Banheiro do quarto no Rydges de Wellington. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O hotel também abriga o restaurante Portlander Bar & Grill, famoso por ter um dos steaks mais macios da cidade. O restaurante está aberto para café da manhã, almoço e jantar.

Tivemos a oportunidade de saborear o café da manhã e confesso que foi um dos melhores cafés da manhã que já experimentei. Achei o máximo a geladeira de garrafinhas da foto abaixo. Tomei quase que uma de cada, rs.

café da manhã Rydges

Delícia de café da manhã no Rydges de Wellington! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

hospedagem Wellington

Comi muito!!! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

3) Como chegar em Wellington

Localizada no sul da ilha norte, bem próximo à ilha sul, Wellington foi estrategicamente escolhida para ser a capital da Nova Zelândia.

Para quem faz uma road trip entre as ilhas sul e norte, Wellington é parada obrigatória no trajeto. Vale a pena ficar 1 ou 2 dias na cidade e aproveitar toda a programação cultural e as belas paisagens que a capital neozelandesa tem a oferecer.

Em nossa road trip, visitamos a ilha sul primeiro e depois subimos para a ilha norte. Por isso, atravessamos o estreito de Cook com o ferry da Blue Bridge. Se você está de carro, atente-se que é necessário pagar um valor pelo automóvel mais um valor diferenciado por passageiro. Consulte as tarifas clicando aqui.

A viagem entre as ilhas dura cerca de 3:30 horas. O barco é bastante confortável, com mesas e poltronas, sala de cinema, cafeteria, terraço externo e quartos privativos (pagos à parte).

Ferry Blue Bridge

Interior do Ferry da Blue Bridge. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Se o dia estiver com sol, aproveite a vista, é linda!

Como chegar em Wellington Nova Zelândia

Vista do ferry da Blue Bridge. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A cidade também abriga o aeroporto internacional de Wellington, que tem voos diários para Melbourne, Sydney, Brisbane, Canberra, Singapura, Nadi (Fiji), entre outros destinos nacionais e internacionais.

Gostou desta matéria? Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nenhum centavo a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Pensando em conhecer Wellington? Dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois. É simples, rápido e prático!

Conheça Wellington em um roteiro incrível de 2 dias. Saiba onde se hospedar, o que fazer e como chegar.

* Nos hospedamos no Rydges Wellington mediante parceria, mas todos os relatos descritos neste post foram baseados em nossas experiências reais e refletem a nossa opinião.

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

Deixe um comentário