Dicas e Roteiro de 2 dias em Abel Tasman: 1º Dia

0

Localizado entre Golden BayTasman Bay, na ilha sul da Nova Zelândia, Abel Tasman National Park é o menor parque nacional do país, mas também um dos mais bonitos.

Abel Tasman National Park

Abel Tasman National Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Praias de águas cristalinas e areia dourada se encontram em Abel Tasman com florestas nativas, exibindo um verdadeiro paraíso costeiro.

É possível explorar a região de inúmeras formas.

A primeira e a mais famosa delas é percorrer a Abel Tasman Coastal Track, uma das 9 Great Walks da Nova Zelândia. Esta caminhada, com duração de cerca de 3 a 5 dias, possui dificuldade intermediária e exige bom condicionamento físico. É possível dormir ao longo do caminho em acomodações privadas, cabanas ou acampamentos.

Abel Tasman Coastal Track

Abel Tasman Coastal Track. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Para quem não dispõe de tanto tempo, no entanto, é possível percorrer parte da Abel Tasman Coastal Track, combinando a caminhada com passeio de barco e/ou caiaque.

Em abril de 2017, conhecemos a região de Abel Tasman de barco, de caiaque e caminhando, em um roteiro incrível de 2 dias. No post de hoje, que faz parte de uma série de posts sobre a nossa road trip de 20 dias pela Nova Zelândia, detalharemos o nosso primeiro dia na região e as atrações visitadas.

1) Roteiro de 2 dias em Abel Tasman

Dia 1: Cruzeiro + Caminhada

No primeiro dia, optamos por ter uma visão geral da costa de Abel Tasman e fazer parte da Abel Tasman Coastal Track a pé.

Roteiro Abel Tasman

Praia em Abel Tasman. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Por esse motivo, escolhemos o passeio Discoverer Day da empresa Abel Tasman Sea Shuttle. A companhia oferece diferentes combinações de cruzeiro e caminhadas. Há opção para quem quer passar mais tempo nas praias, para aqueles que querem conhecer também as belezas do interior da ilha e para aqueles que querem andar um pouco mais.

Optamos por fazer a opção A (Discoverer Day – Astrolabe Beaches and Bays), na qual percorremos parte da costa de barco e caminhamos cerca de 7 km na trilha.

Abel Tasman Sea Shuttle

Barco da Abel Tasman Sea Shuttle. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O passeio partiu de Kaiteriteri por volta das 09:00 da manhã e navegou pela costa até chegar em TotaranuiNo caminho, o barco fez algumas paradas para que outras pessoas pudessem descer ou embarcar (não foi o nosso caso). Após chegar em Totaranui, o barco começou a voltar. Para ver o mapa com as paradas, clique aqui.

trilha Abel Tasman

Trilheiros desembarcando em Abel Tasman. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Ao meio dia, desembarcamos na praia de Apple Tree Bay, para que pudéssemos caminhar até Anchorage Bay.

O que fazer em Abel Tasman National Park

Renato desembarcando em Abel Tasman. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

De maneira geral, a caminhada é bastante tranquila e o terreno é plano. Há algumas subidas, que possibilitam que você tenha boas vistas da costa, mas não são subidas tão íngremes.

Abel Tasman Coastal Track

Mirante ao longo da caminhada. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Atente-se, porém, ao horário marcado pela empresa para pegá-lo no destino final. Eles são super pontuais e você pode ficar para trás caso demore muito durante a caminhada. Por isso, tire algumas fotos, mas agilize o passo para fazer todo o trajeto no tempo estabelecido.

Às 15:45 fomos pegos pelo barco em Anchorage Bay e às 16:30 já estávamos de volta à Kaiteriteri.

Após o passeio, ainda tivemos tempo para curtir a praia de Kaiteriteri e Little Kaiteriteri. Esta última é um charme, vale a pena passar algumas horas por lá.

Little Kaiteriteri

Little Kaiteriteri, Abel Tasman. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

  • O que achamos do passeio:

O tour Discoverer Day – Astrolabe Beaches and Bays foi bastante completo e nos deu uma boa noção sobre as praias da costa. Se você não dispõe de muito tempo, ou não anima caminhar 3 a 5 dias pela Abel Tasman Coastal Track, essa é uma excelente opção para você.

Discoverer Day - Astrolabe Beaches and Bays

Praias durante o passeio Discoverer Day – Astrolabe Beaches and Bays. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Passeio de barco em Abel Tasman

Praias durante o passeio Discoverer Day – Astrolabe Beaches and Bays. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Pontos de interesse Abel Tasman

Vida Selvagem em Abel Tasman. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O percurso que caminhamos entre Apple Tree Bay e Anchorage é beeem bonito e nos possibilitou sentir um pouco a sensação de se fazer uma Great Walk na Nova Zelândia.

Importante mencionar que este passeio não é um tour guiado. Isso significa que você percorrerá por conta própria o trajeto escolhido e apenas encontrará o barco no horário marcado. Particularmente, preferimos assim. A trilha é bem tranquila e não carece de guia para acompanhá-lo.

  • Outros passeio da Abel Tasman Sea Shuttle

Como falamos, a empresa oferece várias outras combinações de passeios. Você pode fazer como fizemos ou optar por apenas cruzeiro, caiaque, caminhada, entre outros.

Vale a pena consultar o site da Abel Tasman Sea Shuttle e escolher a combinação que mais combina com o seu estilo de viagem.

caiaque Abel Tasman

Caiaque em Abel Tasman. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

2) Como chegar em Abel Tasman National Park

É possível acessar Abel Tasman por Marahau e Kaiteriteri ao sul ou por Golden Bay e Totaranui ao norte. A maior parte dos barcos e tours, no entanto, partem de Marahau ou Kaiteriteri, onde ficam as principais agências de turismo.

3) Onde se hospedar em Abel Tasman

Na região de Abel Tasman, você encontrará opções de hospedagem em Marahau, Kaiteriteri e Motueka. As hospedagens com melhor custo benefício, por sua vez, estão localizadas na cidade de Motueka.

Ficamos hospedados no Motueka Top 10 Holiday Park, um enorme complexo que oferece estúdios completos (quarto, cozinha e banheiro privativo); quartos com banheiro compartilhado; além de espaços para camping e para motorhome.

Motueka Top 10 Holiday Park

Motueka Top 10 Holiday Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Dormimos duas noites em um quarto com banheiro compartilhado. Achamos os banheiros bastante limpos e com o dimensionamento muito bom para o número de hóspedes.

Onde se hospedar em Abel Tasman

Quarto do Motueka Top 10 Holiday Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Também usamos a cozinha compartilhada, que é grande e bem equipada. Atente-se, no entanto, que não há utensílios disponíveis, como panelas, pratos e talheres. É necessário que você tenha seus próprios utensílios.

Hotel Abel Tasman

Cozinha do Motueka Top 10 Holiday Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O hotel também oferece facilidades para churrasco, área de jantar, lavanderia, jacuzzi, balcão de turismo  e sala de TV.

Para as crianças, há ainda um playground e uma piscina.

Motueka Top 10 Holiday Park

Área de lazer do Motueka Top 10 Holiday Park. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

E aqui finalizamos o nosso primeiro dia na região de Abel Tasman. No próximo post, falaremos sobre o nosso segundo dia na região e o passeio de caiaque que fizemos na Reserva Marinha da Ilha Tonga.

Gostou deste post? Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nada a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Quer saber outras formas de apoiar o projeto Pegadas na Estrada sem gastar nenhum centavo?

Clique aqui e saiba como. É rápido, fácil e nos ajuda bastante. Até a próxima 🙂

Pensando em conhecer o Abel Tasman? Dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois.

Conheça Abel Tasman National Park, um verdadeiro paraíso costeiro na ilha sul da Nova Zelândia. Saiba como explorá-lo a pé, de barco e de caiaque.

A nossa hospedagem no Motueka Top 10 e o passeio com a Abel Tasman Sea Shuttle foram uma cortesia dessas empresas. Todos os relatos descritos neste post, no entanto, foram baseados em nossas experiências reais e refletem a nossa opinião.

 

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

Deixe um comentário