Parque Nacional Radal Siete Tazas: o paraíso das águas claras a 250 km de Santiago

10

Radal Siete Tazas é um parque nacional localizado a cerca de 250 km de Santiago, que abriga diversas cachoeiras de água verde cristalina, cercadas por uma paisagem incrível.

Parque Nacional Siete Tazas, Chile

Parque Nacional Siete Tazas, Chile. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Apesar da proximidade com Santiago, não recomendamos fazer bate-volta. Sugerimos separar no mínimo 2 dias para visitá-lo, pois o trajeto pode ser um pouco demorado, já que os 25 km finais ainda são de estrada de terra.

Visitamos o Parque Nacional Radal Siete Tazas em nossa viagem de 30 dias pelo Chile. Fizemos da cidade de Curicó a nossa base para explorar o parque.

No post de hoje, você saberá o que encontrar no Parque Nacional Radal Siete Tazas, onde se hospedar, além de muitas dicas úteis para ajudá-lo a organizar a sua viagem.

Leia também o roteiro que escrevemos de 3 dias em Santiago!

Se ainda assim restar alguma dúvida, fique à vontade para deixá-la nos comentários. Será um prazer ajudá-lo a desbravar também esse terreno pouquíssimo conhecido pelos brasileiros.

Roteiro Santiago Radal Siete Tazas

Quedas d’água no Parque Nacional Siete Tazas. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

1) Visitando o Parque Nacional Radal Siete Tazas 

O Radal Siete Tazas é um parque nacional administrado pelo Conaf. Por isso, é necessário pagar uma pequena taxa de entrada. Quando fomos, o valor do ingresso para adultos estrangeiros era de 5.000 pesos chilenos e deveria ser pago em dinheiro espécie. Consulte os valores atualizados no site oficial do Conaf.

Dentro do parque há banheiros públicos, trilhas bem demarcadas, centro de informações, mirantes e áreas para piquenique.

Há ainda uma área de camping e um pequeno estacionamento na entrada (gratuito). Como o estacionamento é pequeno, é bom evitar ir ao parque em feriados e nos finais de semana.

Atenção: quando fomos, não havia venda de alimentos dentro do parque. Por isso, leve o seu próprio lanche como: sanduíche natural, barra de cereal, nuts, chocolate, frutas, … . Confira também as nossas dicas de alimentação para trilhas no post que escrevemos “Alimentos para comer nas trilhas: dicas de uma nutricionista viajante!“.

2) Atrações do Parque Nacional Siete Tazas

O Parque Nacional Siete Tazas é dividido em 4 principais setores, conforme a foto abaixo:

  • Setor Siete Tazas
  • Setor El Radal
  • Setor Parque Inglês
  • Setor El Bolsón
O que fazer no Parque Nacional Siete Tazas Chile

Setores do Parque Nacional Siete Tazas. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Por questões de tempo, concentramos a nossa visita no Setor Siete Tazas, que é onde estão as atrações mais famosas do parque.

Para quem tem mais tempo, no entanto, o parque oferece trilhas maiores nos outros setores, que também parecem ser interessantes.

A seguir, as atrações que visitamos no Setor Siete Tazas.

2.1) Radal Siete Tazas

  • Sendero Siete Tazas

A principal atração do parque é a chamada Siete Tazas, que é uma sequência de 7 piscinas naturais, formadas pelas águas cristalinas que descem da cordilheira.

A trilha que passa pelas piscinas naturais, conhecida como Sendero Siete Tazas, possui cerca de 1,7 km de extensão e nível fácil de dificuldade. A trilha é bem demarcada e conta com alguns mirantes de onde se tem boas vistas. Ela se inicia à direita do estacionamento do setor 7 Tazas (coordenadas -35.458399, -71.026231).

Ao longo do Sendero Siete Tazas, você verá várias atrações como: Siete Tazas, Salto la Leona (uma prainha que mostraremos no próximo ponto), Bosque Mixto, Arboretum, Pozón la Leona e Río Claro.

Radal Siete Tazas parque nacional Chile

Sete quedas d’água, que dão nome ao parque (Siete Tazas). Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Río Claro Radal Siete Tazas

Piscinas formadas pelo rio Claro. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

viagem parques nacionais Chile

Prainha formada pelo Salto la Leona vista da trilha Siete Tazas. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Salto la Leona

O Salto la Leona é uma linda cachoeira que forma uma piscina natural com uma pequena prainha. Do Sendero Siete Tazas é possível ter belas vistas da cachoeira a partir de mirantes de fácil acesso. Para acessá-la, no entanto, é preciso atravessar o Rio Claro, o que se faz pulando e caminhando sobre pedras caídas no rio.

Salto la Leona Radal Siete Tazas

Caminhando pelas pedras para chegar no Salto la Leona. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Salto la Leona Radal Siete Tazas Curicó

Caminhando pelas pedras para chegar no Salto la Leona. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Nadar nessa região é permitido, mas, quando fomos, a água estava muuuuito gelada. De doer os ossos!

ecoturismo Chile

Prainha do Salto la Leona. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Esta é também uma boa região para descansar após a caminhada, fazer um piquenique e curtir a paisagem incrível. Vale lembrar que não há banheiros nessa região. Eles estão localizados apenas na entrada do parque.

Parque Nacional Siete Tazas Curico Chile

Prainha do Salto la Leona. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

  • Salto Velo de la Novia

O Salto Velo de la Novia está localizado dentro do Setor El Radal, mas o mirante de onde se vê a cachoeira está localizado do lado de fora do parque, próximo à entrada do Setor Siete Tazas.



Salto Velo de la Novia Radal Siete Tazas Chile

Mirante do Salto Velo de la Novia. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

Para chegar até lá, basta dirigir o carro até as coordenadas -35.436664, -71.044640 e estacioná-lo no acostamento.

Recomendamos que você vá direto para o parque e pare nesse mirante apenas na volta. Como falamos, o estacionamento do parque é muito pequeno. Quanto mais cedo você chegar, mais fácil será para encontrar vagas.

Além disso, é no período da tarde que o sol bate no Salto Velo de la Novia, tornando as fotos mais iluminadas e bonitas.

O que fazer em Santiago Radal Siete Tazas

Mirante do Salto Velo de la Novia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

2.2) Atrações em outros setores do parque:

Em 2 dias inteiros, tivemos tempo para ir de Santiago até Curicó (pernoite), visitar as atrações do Setor Siete Tazas e retornar para Santiago.

Se você dispõe de mais dias, há ainda outras atrações que podem ser visitadas:

  • El Bolson

El Bolson, Parque Nacional Radal 7 Tazas. Foto: www.parqueingles.com/el-bolson/

Localizada a cerca de 5 horas de caminhada desde o Parque Inglês, a região de El Bolson dispõe de área de camping, banheiros e duchas frias. É o ponto de partida para a Cascada Gemela e local para pernoitar para quem quer seguir até a Laguna de las Animas.

  • Cascada Gemela

Cascada Gemela, Parque Nacional Radal 7 Tazas. Foto: www.youtube.com/watch?v=Agvgb3z89wo

Lindas piscinas naturais localizadas a cerca de 800 metros a nordeste de El Bolson.

  • Laguna de Las Animas

Laguna de las Ánimas, Parque Nacional 7 Tazas. Foto: www.parqueingles.com/laguna-de-las-animas/

Destino para os mais valentes, a Laguna de Las Animas está a aproximadamente 6 horas de El Bolson e não dispõe de banheiros ou fonte de água. O acampamento selvagem, no entanto, é permitido.

3) Como chegar no Parque Nacional Radal Siete Tazas por conta própria

3.1) Carro

Quem está de carro deve seguir até a cidade de Molina e de lá continuar até o parque. De Santiago a Molina são 205 km pela Ruta 5, uma estrada duplicada e em excelente estado de conservação. Saindo da rodovia deve-se atravessar a cidade de Molina, seguindo a sinalização até pegar a saída para estrada K-175. A partir daí são mais 25 km de estrada asfaltada e outros 25 km de estrada de terra. Apesar de ser tranquilo passar por esse trecho de terra com um carro normal, recomendamos alugar um carro mais alto, como uma SUV, para maior conforto e agilidade. Clique aqui para ver e baixar o mapa com o trajeto.

3.2) Transporte Público

Também é possível ir de Santiago ao Parque Nacional Radal Siete Tazas usando o transporte público. Para isso, existem duas opções. A primeira é pegar o trem na estação Alameda, descer em Molina e, de lá, pegar o ônibus para o parque. A segunda alternativa é pegar um ônibus até Molina e depois o ônibus até o parque.

5) Onde se hospedar próximo ao Parque Nacional Radal Siete Tazas

Curicó é a cidade mais próxima do Parque Nacional Siete Tazas que oferece boa infraestrutura hoteleira. A cidade também possui bons restaurantes, supermercados e vinícolas.

5.1) Hotel em Curicó:

Ficamos hospedados no Hotel Radisson em Curicó e gostamos bastante.

O hotel está localizado a apenas 500 metros da Plaza de Armas e está cercado por restaurantes, lojas e supermercado.

Os quartos são super confortáveis e contam com banheiro privativo, cofre, televisão e ar condicionado / aquecimento.

Hotel Radisson Curicó Chile

Quarto do Hotel Radisson em Curicó. Foto: www.booking.com

O hotel oferece recepção 24 horas, estacionamento gratuito, bar, loja de vinhos e um café da manhã delicioso.

Onde se hospedar Curicó Chile

Espaço de café da manhã do Hotel Radisson em Curicó. Foto: www.booking.com

Onde se hospedar Radal Siete Tazas

Bar do Hotel Radisson em Curicó. Foto: www.booking.com

Em resumo, ficamos super bem instalados e por um bom custo-benefício.

5.2) Hotéis mais próximos ao parque:

Para quem quer ficar mais próximo ao parque, há ainda os vilarejos de Molina e El Bolsico, mas que contam com poucas opções de hospedagem.

A seguir, alguns hotéis bem avaliados nessa região:

Gostou deste roteiro sobre o Parque Nacional Radal Siete Tazas ?

Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nada a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Quer saber outras formas de apoiar o projeto Pegadas na Estrada sem gastar nenhum centavo?

Clique aqui e saiba como. É rápido, fácil e nos ajuda bastante. Até a próxima 🙂

Gostou de saber o que fazer em Parque Nacional Radal Siete Tazas ? Então dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois.

Conheça o Radal Siete Tazas, um parque nacional localizado a cerca de 250 km de Santiago, que abriga diversas cachoeiras de água verde cristalina.

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

10 Comentários

  1. Que legal! Não conhecia esse parque mesmo já tendo viajado para o Chile diversas vezes! Prova de que um país não precisa ser tão grande, basta procurar que sempre tem o que fazer!

    • Verdade!

      O Chile é um encanto de norte a sul! Pena que as pessoas vão sempre para os mesmos lugares.
      É um país que recomendo demais para 1, 2, 3 ou muitas viagens! Sempre há lugares novos para descobrir.

      Abraços
      Cris e Renato

  2. Que lugar mais encantador, confesso que desconhecia sobre a existência deste parque tão lindo que fica perto de Santiago. Mais um motivo para eu voltar para o Chile e explorar tudo o que o país tem de melhor no quesito belezas naturais, sonho em visitar o Atacama, Cajón del Maipo e a Patagônia chilena. São tantos atrativos que fica até difícil conhecer tudo em uma só viagem.

Deixe um comentário