Roteiro em Santiago – Dia 1: La Chascona, Cerro San Cristóbal, Centro Histórico e Cerro Santa Lucía

0

Elaborar um bom roteiro em Santiago não é uma tarefa difícil uma vez que a cidade é bastante organizada e oferece um excelente sistema de transporte público.

Roteiro em Santiago Chile

Roteiro em Santiago, Chile. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Queridinha dos brasileiros, a capital chilena oferece atrações interessantes tanto para quem gosta de atividades ao ar livre, quanto para quem curte arte e museus e, claro, para os amantes de vinho e de boa gastronomia. Santiago é também a porta de entrada para outras atrações no Chile, como por exemplo o Atacama, Torres del PaineCarretera Austral ou mesmo um ponto de conexão entre o Brasil e a Oceania.

Em algum momento da vida, é provável que todos nós brasileiros passemos por Santiago! Seja qual for o seu momento, faça uma parada, curta e se apaixone!

No post passado, mostramos várias dicas em Santiago: como se locomover, quantos dias ficar, como ir do aeroporto para o centro, onde se hospedar, o que comer, que moeda levar, além de um roteiro em Santiago resumido de 3 dias. Para quem tem mais tempo, no entanto, sugerimos outras atividades também.

No post de hoje, detalharemos o primeiro dia desse roteiro de 3 dias em Santiago. Se ainda assim restar alguma dúvida, fique à vontade para deixá-la nos comentários. Será um prazer ajudar!

1) Roteiro em Santiago – Dia 1: La Chascona, Cerro San Cristóbal, Centro Histórico e Cerro Santa Lucía

1.1) La Chascona

Como chegar

Começamos o dia no hotel Casa Lyon, no bairro providência, e de lá pegamos o metrô 5 (verde) até a estação Baquedano, para visitarmos a La Chascona.

Localizada no bairro Bellavista, ao pé do Cerro San Cristóbal, a La Chascona é uma das três casas do famoso poeta chileno Pablo Neruda. As outras duas casas estão localizadas fora de Santiago, sendo uma em Valparaíso (Casa Museu La Sebastiana) e a outra em El Quisco (Casa Museu Isla Negra).

La Chascona o que fazer em Santiago

Foto externa da Casa La Chascona. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

História de La Chascona

Construída inicialmente em 1953 para a amante de Neruda (Matilde Urrutia), a casa La Chascona continha apenas em 1 quarto e 1 sala. Em 1955, Neruda se divorcia de sua esposa e se muda para a La Chascona para morar com Matilde. Juntos, o casal faz várias ampliações na casa, incluindo a construção de uma biblioteca e de um bar.

Em 1973, logo após o golpe de estado no Chile, Neruda morre e seu corpo é velado em La Chascona. Em seguida, a casa foi vandalizada e inundada por simpatizantes do regime militar, causando-lhe danos irreparáveis. Coube a Matilde, realizar posteriormente as obras de restauração para manter viva a memória e obra do poeta.

Visita

Atualmente La Chascona funciona como um museu e é aberta a visitação de terça a domingo. Funciona das 10:00 às 19:00 (janeiro e fevereiro) e nos demais meses do ano das 10:00 às 18:00.

Antes de mais nada, é recomendável assistir a um pequeno vídeo que conta um pouco da vida de Neruda e da história da casa. Seguindo a  visita, é possível ver os detalhes de cada cômodo, objetos pessoais de Neruda, além de uma série de obras do poeta. Um áudio-guia está incluído no ticket de entrada.

Infelizmente, não é possível tirar fotos de dentro da casa.

1.2) Parque Metropolitano de Santiago (Cerro San Cristóbal)

Da Casa Museu La Chascona, seguimos a pé para o funicular que dá acesso ao Parque Metropolitano de Santiago.

Considerado o maior parque urbano da América Latina, o Parque Metropolitano de Santiago é um lugar perfeito para se conectar com a natureza e oferece boas vistas da cidade.

  • Subida ao Cerro San Cristóbal de funicular (chegando no parque)

A principal entrada para o parque se dá através do funicular, localizado no acesso Pio Nono, que leva o viajante até o topo do Cerro San Cristóbal. No caminho, é possível fazer uma parada para visitar o Zoológico Nacional (nós não visitamos) e depois continuar até o cume do cerro.

roteiro Cerro San Cristóbal Santiago Chile

Subida ao Cerro San Cristóbal de funicular. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

É possível também comprar o ingresso para a ida e a volta de funicular. Nós compramos apenas a ida, pois iríamos fazer o passeio de teleférico até o outro lado do parque, onde sairíamos pelo acesso Pedro de Valdívia e não pelo acesso Pio Nono. É possível comprar o ticket combinado de subida de funicular e passeio de teleférico. O ingresso é comprado diretamente na bilheteria localizada na entrada do funicular.

Também é possível subir até o parque de carro e, por isso, vários taxistas oferecem seus serviços na fila do funicular. Mas, como queríamos conhecer o funicular, optamos por este meio de transporte mesmo.

  • Santuário Inmaculada Concepción

O funicular sobe até o cume do cerro, onde há um centro de informações e banheiros. Aproveite para pegar um mapinha gratuito do parque.

Assim que você passar o centro de informações, você verá uma pequena trilha que o levará até o Santuário Inmaculada Concepción.

No santuário você poderá ver diversas estátuas religiosas, um anfiteatro, uma capela e a imagem da Inmaculada Concepción, que mede 14 metros. Para chegar até os pés da imagem, é necessário subir uma escadaria.

imagem de  Inmaculada Concepción Santiago

Imagem da  Inmaculada Concepción, Cerro San Cristóbal. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada



Pontos de interesse Santiago

Vista do Santuário Inmaculada Concepción, Cerro San Cristóbal. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Teleférico

Logo após conhecermos o parque na região do acesso Pio Nono, pegamos o teleférico e seguimos admirando a vista até o acesso Pedro de Valdívia.

O trajeto de teleférico dura cerca de 20 minutos e possibilita vistas lindíssimas da cidade. O cenário fica ainda mais incrível quando vemos o edifício Sky Costanera, que se destaca em meio às construções baixinhas de Santiago e às cordilheiras.

teleférico Cerro San Cristóbal Santiago

Passeio de teleférico em nosso Roteiro em Santiago! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Outras atrações do parque

Em todo o parque, você verá muito verde e jardins.

Além disso, há ainda duas piscinas públicas, a piscina Tupahue e a piscina Antilén, que operam de novembro a março.

Para os amantes de bicicleta, há também diversas trilhas que descem morro abaixo.

Por fim, não deixe de provar o famoso “mote com huesillo“, que é uma bebida típica chilena bem doce, acrescida de pêssego em caldas e grãos de trigo. Se a fome apertar, empanadas serão, sem dúvida, uma excelente pedida!

mote com huesillo Santiago

Não deixe de provar o mote com huesillo! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

1.3) Centro histórico

Do Parque Metropolitano de Santiago (acesso Pedro de Valdívia), andamos cerca de 1,3 km até a estação de metrô Pedro de Valdívia (linha 1 – vermelha). Lá pegamos o metrô até a estação Plaza de Armas (linha 5 – verde) para explorarmos a pé o centro histórico de Santiago.

Esta é uma região bastante turística, que mistura com harmonia os prédios modernos com a arquitetura mais genuína de Santiago, além de diversos atrativos históricos e culturais.

  • Plaza de Armas de Santiago

Começamos a nossa caminhada na Plaza de Armas. Nela você encontrará a Catedral Metropolitana de Santiago, o Museu Histórico Nacional (não visitamos por dentro) e o prédio dos Correios.

A catedral, construída em estilo neoclássico, abriga um museu de arte sacra, além de várias imagens, com a estátua de madeira de São Francisco Xavier, esculpida no período colonial.

  • Museu Chileno de Arte Pré Colombiana

A poucos passos da Plaza de Armas, na rua Bandeira 361, você encontrará uma das atrações mais interessantes de Santiago: o Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana.

O museu ocupa, desde 1981, um antigo palácio de 3 andares e encanta os visitantes através da exibição da arte e de objetos do período pré-colombiano, que retratam o estilo de vida dos povos indígenas do Chile e de boa parte da América. Nele você vai encontrar artefatos não só do Chile, como também do Peru, Equador, Guatemala, Honduras, México e muitos outros povos da América.

O Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana é, sem dúvida, o centro arqueológico mais importante do Chile.

Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana Santiago

Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Não perca as famosas múmias de Chinchorro, encontradas ao norte do Chile. Esses povos dessa região já usavam técnicas de mumificação cerca de 3.000 anos antes do próprio Egito. Inacreditável, não?

Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana

Múmias no Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Por fim, o museu ainda exibe diversas exposições temporárias. Para consultá-las, verifique o site oficial do Museu Chileno de Arte Pré-Colombiana.

Dica: o museu está aberto apenas até às 18:00. Portanto, atente-se ao tempo gasto nas outras atrações ao longo do dia para não chegar no museu após esse horário. Lembre-se: o Museu Chileno de Arte Pré-Colombiano é realmente imperdível!

Importante: o museu não abre nas segundas-feiras.

  • Palácio de La Moneda

Depois que visitamos o museu, seguimos à pé cerca de 400 metros até o Palácio de La Moneda. É neste local onde está atualmente a sede da Presidência da República do Chile, além de outros ministérios.

roteiro Santiago Palácio de La Moneda

Palácio de La Moneda, Santiago. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

O palácio está localizado entre duas praças (Praça da Cidadania e Praça da Constituição), em uma área com alguns monumentos e áreas verdes.

Inaugurado em 1805, durante a colonização do Chile pela Espanha, o Palácio de La Moneda foi erguido para ser a Casa da Moeda do Chile colonial. De fato, aqui se produziram diversas moedas, inclusive as primeiras do Chile já como um país independente. Em 1929, no entanto, o palácio deixa de abrigar a Casa da Moeda e passa a ser apenas a sede oficial do Governo Chileno.

Diversos acontecimentos importantes ocorreram em La Modena ao longo da história. Com toda a certeza, o que mais ganhou destaque em todos os jornais de sua época foi a tomada do palácio pelo exército do ex-ditador Augusto Pinochet.

Para quem não sabe, o Palácio de La Moneda foi bombardeado pelo exército chileno em 1973, com o intuito de forçar a renúncia do então presidente Salvador Allende. Após 3 horas de bombardeio e luta, no entanto, Allende foi assassinado e o palácio tomado pelas tropas de Pinochet. A ditadura de Pinochet, que ali se iniciou, durou até 1990, quando então a democracia foi restaurada no país.

Esta história foi contada, em resumo, também pelo filme “Allende em seu Labirinto“. Esta é uma ótima indicação para aqueles que querem se aprofundar um pouco mais na história do país. Assista, abaixo, o trailer oficial do filme:

1.4) Cerro Santa Lucía

Por fim, a última atração que visitamos no 1º dia do nosso Roteiro em Santiago foi o Cerro Santa Lucía, localizado a cerca de 900 mts do Palácio de La Moneda.

O Cerro Santa Lucía é outro parque urbano de Santiago que oferece boas vistas da cidade. O grande diferencial deste parque, por sua vez, é que é um parque no “estilo vertical”. Em outras palavras, a medida que você sobe, você vai se deparando com esculturas, jardins, fontes e até um castelo!

Assim que você chegar, você terá que passar pela guarita e preencher uma tabela com o seu nome e o número de pessoas que estão com você (apenas 1 do grupo precisa preencher o formulário). Apesar desse controle, a entrada é gratuita e você já estará autorizado a subir.

Em sua jornada rumo ao topo da colina, não deixe de visitar a Terraza Neptuno, a Terraza Calpolican, o Castelo Hidalgo (estava fechado quando fomos) e finalmente o Torre Mirador!

Cerro Santa Lucía Roteiro em Santiago

Cerro Santa Lucía em nosso Roteiro em Santiago! Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

Ao final do dia, pegamos o metrô na estação Belas Artes (linha 5 – verde) e então seguimos para o hotel  Casa Lyon, onde nos hospedamos!

2) Onde se hospedar em Santiago

Como falamos no primeiro post da série Roteiro em Santiago, o ideal na capital chilena é se hospedar próximo às estações de metrô, principalmente das linhas (1,4 ou 5).

Ficamos hospedados no hotel Casa Lyon, no bairro Providência, localizado a 250 metros da estação Parque Bustamante (linha 5) e a 800 metros da estação Baquedano (linha 1).

Hotel com bom custo-benefício para um roteiro em Santiago

Hotel com bom custo-benefício para um roteiro em Santiago. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

O hotel encontra-se em uma área segura e fácil de estacionar. A Casa Lyon é também rodeada por bons restaurantes e supermercados. Recomendamos o supermercado  Express de Lider, localizado a 270 metros do hotel.

O hotel oferece quartos simples, mas completinhos e com um excelente custo benefício.

O nosso quarto tinha banheiro privativo, internet wifi, TV a cabo, cama confortável e limpeza diária.

onde se hospedar em Santiago

Quarto do hotel Casa Lyon em nosso roteiro em Santiago. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

O café da manhã é servido em estilo buffet e oferece pães, queijo, presunto, geleia, galetas, frutas, suco, café, leite, iogurte e cereais.

Hotel barato santiago

Café da manhã delícia no Casa Lyon. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

onde se hospedar em Santiago Chile

Preparativos para o 1º dia do nosso Roteiro em Santiago!. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Em resumo, gostamos muito da nossa hospedagem em Santiago e recomendamos! Este hotel é um hotel perfeito para aqueles que procuram boa localização e bom custo-benefício.

Gostou deste roteiro em Santiago?

Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nada a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Quer saber outras formas de apoiar o projeto Pegadas na Estrada sem gastar nenhum centavo?

Clique aqui e saiba como. É rápido, fácil e nos ajuda bastante. Até a próxima 🙂

Precisando de um roteiro em Santiago? Então dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois.

Roteiro em Santiago com dicas de atrações, hospedagem, alimentação, transporte e muito mais. Saiba o que fazer no 1º dia na capital Chilena. Inclui o centro histórico, a La Chascona, o Cerro San Cristóbal, o Cerro Santa Lucía e o Museu de Arte Pré-Colombiana.

 

A nossa hospedagem no hotel Casa Lyon foi uma cortesia desta empresa. Todos os relatos descritos neste post, no entanto, foram baseados em nossas experiências reais e refletem 100% a nossa opinião.

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

Deixe um comentário