Roteiro em Santiago – Dia 3: Concha y Toro e Sky Costanera

10

Quem vai à capital chilena precisa separar 1 ou mais dias para conhecer as melhores vinícolas de Santiago e arredores.

visita vinícola Concha y Toro

Concha y Toro, na lista das melhores vinícolas de Santiago! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A boa notícia é que parte dessas vinícolas é facilmente acessada de transporte público e está a uma curta distância do centro de Santiago.

Em nosso roteiro de 3 dias pela capital chilena, tivemos que escolher 1 dessas vinícolas para visitar, já que o nosso tempo era curto e precisávamos otimizar o nosso roteiro.

Depois de muitas pesquisas e de colocar tudo na balança, não tivemos dúvidas de que escolheríamos a Concha y Toro!

No post de hoje, descreveremos todos os detalhes do nosso terceiro dia em Santiago, que incluiu uma visita à vinícola Concha y Toro e a subida no Sky Costanera, o mirante mais alto da América Latina. Falaremos sobre cada atração, como chegar, valores, o que achamos e dicas de onde se hospedar.

Para você que está chegando ao blog agora, saiba que este post faz parte de uma série de 4 posts sobre Santiago que escrevemos:

Se ainda assim restar alguma dúvida, fique à vontade para deixá-las nos comentários. Será um prazer ajudá-lo!

1) Por que escolhemos a Concha y Toro entre todas as vinícolas de Santiago e arredores?

  • A vinícola Concha y Toro está localizada na região do Vale de Maipo, uma das áreas que mais produzem vinhos de qualidade no Chile, oferecendo produtos super bem avaliados em premiações internacionais.
  • Chegar a vinícola de transporte público por conta própria é muito fácil e barato (explicaremos no item 4).
  • Por ser bem próxima a Santiago, você não perderá muito tempo se deslocando e poderá visitar outras atrações da capital chilena no mesmo dia (ideal para quem tem poucos dias na cidade).
  • Tour com direito a degustação e brinde ao final (taça de vinho).
  • Poder provar uvas diretamente do pé no período de colheita.
  • Tour em português.
  • Possibilidade de fazer também um tour de harmonização de queijos com vinhos.
  • Bom custo-benefício.
  • Cenário lindo e pitoresco!
  • Reserva via internet.
  • Aberta todos os dias da semana (das 10:00 às 17:10), durante todo o ano, com exceção dos feriados de 1º de janeiro, Sexta-feira Santa, 1º de maio, 18 e 19 de setembro e 25 de dezembro.
  • Restaurante aberto ao público, com o melhor da cozinha chilena e possibilidade de degustar outros vinhos.
  • Por fim, quem nunca bebeu um vinho da Concha y Toro? Conhecer um pouco mais sobre a sua história e a sua produção é mesmo um programa obrigatório em Santiago!
Melhores vinícolas de Santiago chile

Uvas na Concha y Toro, uma das melhores vinícolas de Santiago! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada



2) Como funciona a visita à vinícola Concha y Toro

A vinícola Concha y Toro oferece dois tours:

  • Tour tradicional (duração de 1 hora).
  • Tour Marques de Casa Concha (duração de 1h30min).

2.1) Tour tradicional da vinícola Concha y Toro:

  • Jardins e casa da família Concha y Toro:

O tour começa com uma caminhada bastante tranquila e agradável pelos jardins da casa de verão da família Concha y Toro.

Para quem não sabe, a vinícola foi fundada nessa propriedade no ano de 1883, por Don Melchor de Concha y Toro, que construiu uma bela casa de verão para sua família, um enorme jardim com lagos e o primeiro vinhedo. Atualmente a vinícola é administrada pelas famílias Guilisasti e Larrain, e não mais pela família Concha y Toro.

Após passar pelo túnel de folhas, nos deparamos com a casa construída por Don Melchor de Concha y Toro, de onde se tem uma bela vista da propriedade. Infelizmente não é possível visitar a casa por dentro.

roteiro vinícolas Santiago

Túnel de folhas na vinícola Concha y Toro! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Roteiro Santiago vinícolas Concha y Toro

Casa de verão da família Concha y Toro. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

No caminho, o nosso guia, que era um brasileiro muito simpático, foi nos contando histórias sobre a vinícola, os principais vinhos produzidos e várias outras informações.

Visitar vinícola Concha y Toro Santiago Chile

Jardim da casa de verão da família Concha y Toro. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Primeira degustação: Sauvignon Blanc do Marques de Casa Concha

Em seguida, veio a nossa primeira degustação em um ambiente super charmoso, debaixo de árvores e com vista para o lago. Aqui provamos um vinho Sauvignon Blanc do Marques de Casa Concha, super leve e equilibrado. O nosso guia nos deu algumas dicas de harmonização e falou sobre temperatura adequada do vinho.

Primeira degustação: Sauvignon Blanc do Marques de Casa Concha Concha y Toro

Primeira degustação: Sauvignon Blanc do Marques de Casa Concha. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

tour concha y Toro Santiago Chile

Degustação do Sauvignon Blanc do Marques de Casa Concha em meio à natureza! Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

  • Uvas diretamente do pé!

Após a nossa primeira degustação, foi a vez de provarmos uvas diretamente do pé. Como fomos no final do mês de março (início de outono), os pés estavam abarrotados de uvas! Aqui você verá diversos tipos de uva e poderá se deliciar com um pouquinho de cada uma delas!

degustação Concha y toro Santiago

Degustação direto do pé! Concha y Toro. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

Bata-volta de Santiago Concha y Toro

Degustação direto do pé! Concha y Toro. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Segunda degustação: Carmenere do Marques de Casa Concha

Sem dúvida a cepa mais emblemática do Chile e um orgulho para a Concha y Toro.

melhores vinícolas de Santiago Chile

Segunda degustação: Carmenere do Marques de Casa Concha. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A história da uva Carmenere começa no século XIX, na cidade de Bordeaux na França. Naquela época, a uva Carmenere da região era uma das mais desejadas e cultivadas em território francês.

No ano de 1860, no entanto, uma grave praga destruiu os vinhedos franceses, extinguindo a uva Carmenere do país e da Europa.

Felizmente, em 1994, a cepa foi redescoberta no Chile, com a identificação da uva, que fora trazida da França em 1850, escondida entre as plantações de uva Merlot.

Desde então a uva Carmenere foi amplamente cultivada no país, tornando o Chile o maior produtor de vinhos Carmenere do mundo.

Esse é um vinho denso, suave e obrigatório para quem vai ao Chile em busca de bons vinhos. Nós amamos e recomendamos!

  • Técnicas de produção

Após conhecermos a área externa da propriedade e tomarmos dois vinhos, foi a vez de aprendermos um pouco sobre as técnicas de produção dos vinhos da Concha y Toro.

Aqui, o nosso guia nos mostra exemplos de barris para a conservação dos vinhos, nos fala da maceração das uvas realizadas tanto nos dias atuais, quanto no começo da vinícola; além de várias outras curiosidades relacionadas à produção dos vinhos Concha y Toro.

como visitar a Concha y Toro

Guia brasileiro na Concha y Toro! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

 

  • Visita à adega

Hora de entrarmos nas adegas propriamente ditas, incluindo a famosa adega subterrânea onde ficam armazenados os barris do querido vinho Casillero del Diablo.

Casillero del Diablo Concha y Toro

Adega dos vinhos Casillero del Diablo, Concha y Toro. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Aqui é exibido um filme, que conta a lenda da origem do Casillero del Diablo, um dos vinhos mais bebidos no mundo e no Brasil.

Em resumo, o fundador da vinícola Don Melchor de Concha y Toro mandou construir, no século XIX, esta adega escondida para guardar os melhores vinhos produzidos, que seriam destinados a seu próprio consumo. A fama da adega correu a região, o que fez com que algumas garrafas começassem a “desaparecer” da propriedade. Furioso com os vários sumiços, Don Melchor espalhou boatos de que o diabo vivia nessa “pequena caverna”. O “boato” ganhou ainda mais força quando um de seus empregados acreditou ter visto sombras e barulhos estranhos no local. Desde então esses vinhos nunca mais foram furtados e passaram a ser chamados de Casillero del Diablo.

visita vinícola Concha y Toro Casillero del Diablo

A lenda do Casillero del Diablo… Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Degustação final!

Logo após essa história fantástica, foi a vez de degustarmos o nosso último vinho do tour: um Cabernet Sauvignon Terrunyo, um vinho denso, encorpado e perfeito para carnes vermelhas com molhos e queijos fortes.

Ao final do tour, todos os participantes puderam levar para a casa a taça com a logomarca da Concha y Toro, que usaram ao longo do passeio!

Por fim, pudemos conhecer a lojinha da Concha y Toro, que oferece bons vinhos da propriedade, taças e outros suvenires.

2.2) Tour Marques de Casa Concha (duração de 1h30min)

O Tour Marques de Casa Concha, que custa apenas 12 dólares a mais que do que o tour anterior, consiste na visita às mesmas atrações do Tour Tradicional, acrescidas de uma degustação de 4 outros vinhos, harmonizados com queijos diferentes ao final.

Tour Marques de Casa Concha

Tour Marques de Casa Concha, Concha y Toro! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A degustação é orientada por um sommelier, que explica cada vinho, o seu processo de fabricação, como ele pode ser harmonizado com queijos e outros pratos, a temperatura correta para beber, além de várias outras curiosidades. Primeiramente, cada participante ganha uma tábua com diferentes queijos e quatro taças de vinhos.

Tour Marques de Casa Concha Concha y Toro Santiago

Vinhos e queijos para degustação. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Em seguida, os vinhos e os queijos são degustados aos poucos e na ordem sugerida pelo sommelier. Essa ordem nos permite claramente sentir a progressão da degustação e o brilho de cada vinho.

O nosso sommelier foi mega simpático, solicito e engraçadinho. Ao contrário da visita à vinícola, que foi em português, a degustação foi realizada em espanhol, mas foi bem tranquilo de entender.

Por fim, ainda pudemos levar para casa a tábua de queijos em madeira utilizada na degustação, que foi mais uma lembrança dessa incrível visita!

3) O que achamos da visita à vinícola Concha y Toro

Em nossas viagens pelo mundo, sempre gostamos de provar vinhos e produtos locais. Já visitamos diversas vinícolas, em especial na Califórnia, nas regiões de Napa Valley e de Santa Ynez.

Em todas as vinícolas que visitamos, pudemos conhecer um pouco mais sobre a produção e a história do vinho da região e fazer alguma degustação ao final. Na Concha y Toro, apesar de não passarmos pela produção dos vinhos em si, tivemos uma boa noção da história da vinícola, dos vinhos ali produzidos, da harmonização de vinhos e gastronomia (mesmo no tour tradicional), além de podermos passar por cenários lindíssimos e provar uvas no pé (apenas na época da colheita), que complementaram a visita.

A ideia de ir degustando o vinho ao longo do passeio tornou a visita ainda mais interessante e interativa. Nunca havíamos visto isso em nenhuma outra vinícola que visitamos anteriormente.

A medida em que vamos degustando os vinhos oferecidos e sentindo a diferença de cada cepa de uva, vamos ficando mais interessados em conhecer também os outros vinhos da Concha y Toro.

Nesse sentido, a degustação dos 4 outros vinhos no Tour Marques de Casa Concha, complementa a nossa experiência e nos faz entender a perfeição da progressão dos vinhos da Concha y Toro. Não sei se foi porque tomamos 7 diferentes tipos de vinho, mas o final do tour foi realmente uma sensação de êxtase e alegria!

Ainda bem que não estávamos de carro, rs.

tours vinícola Santiago Chile

Turma do Tour Marques de Casa Concha, foi ótimo!!! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

4) Como chegar à vinícola Concha y Toro

Para quem está em Santiago, a vinícola Concha y Toro é facilmente acessível por transporte público, carro, bem como por tours organizados. Nós optamos por ir de transporte público, mas falaremos um pouco também sobre as outras opções.

Como chegar à Concha y Toro de transporte público

A maneira mais fácil de se chegar à vinícola Concha y Toro de transporte público é usando uma combinação de metrô e táxi.

Em primeiro lugar, deve-se pegar o metrô até a estação Las Mercedes (linha 4 – roxa). Uma vez que estávamos hospedados no hotel Casa Lyon, pegamos o metrô na estação Parque Bustamante e descemos na estação Vicente Valdez. Lá, então, fizemos a baldeação na linha roxa até a estação Las Mercedes.

Logo após descer na Las Mercedes, deve-se pegar um táxi até a vinícola. Na saída da estação há diversos táxis que ficam esperando passageiros que vão, principalmente, para a vinícola Concha y Toro. Normalmente, o preço da corrida é fixo ( $ 3000 CLP) e a viagem é bem rápida e segura, mas é bom confirmar antes entrar no táxi.

Todo o percurso, desde o hotel até a vinícola, leva em torno de 1 hora e meia.

Para voltar, há uma van que fica no estacionamento da vinícola e cobra $ 1000 CLP para deixar os passageiros na estação Puente Alto. Nós optamos por voltar com esse meio de transporte e achamos super prático e tranquilo.

Como ir de carro

Também é possível chegar à Concha y Toro de carro. Nesse caso, lembre-se que você estará sujeito ao trânsito, às vezes pesado, de Santiago. Além disso, o motorista também terá que ficar sem beber.

O melhor caminho e o tempo de viagem variam de acordo com a localização do seu hotel, mas espere gastar entre 1 hora e 1 hora e meia desde o bairro Providência. A vinícola, que conta com estacionamento próprio, fica na Av. Virginia Subercaseaux 210, no município de Pirque.

Quem preferir ir de Uber deve gastar entre $ 12.500 e $ 16.000 (UberX).

Tour à Vinícola Concha y Toro

Para quem quer mais comodidade, também é possível fazer um tour à Vinícola Concha y Toro organizado por agências de viagem. O custo do passeio é de US$ 57 e inclui guia em português, traslado desde o hotel, a entrada na vinícola, bem como a degustação de vinhos. Existem saídas às 9h da manhã e também às 3h da tarde. Para contratar esse passeio com atendimento em português, clique neste link.

O que fazer em Santiago

Chegando na vinícola Concha y Toro! Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

5) Fechando o roteiro em Santiago com chave de ouro: Sky Costanera

Uma das grandes vantagens de visitar a Concha y Toro, como falamos no item 1, é que ela demanda apenas meio dia. Assim, ainda é possível visitar outras atrações de Santiago no mesmo dia.

Para fechar com chave de ouro o nosso roteiro de 3 dias em Santiago, deixamos para o último dia a subida no Sky Costanera.

Vista 360 º do mirante Sky Costanera Santiago

Vista 360 º de Santiago do mirante Sky Costanera. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Para quem não sabe, o Sky Costanera é o maior edifício da América Latina e oferece um mirante aberto ao público em seu 61º andar, de onde é possível ter uma vista 360 º de Santiago com a cordilheira ao fundo.

A subida é feita de elevador, que percorre cerca de 300 metros em menos de 1 minuto.

O que fazer em Santiago

Vista 360 º de Santiago do mirante Sky Costanera. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

O legal de visitar essa atração no último dia é poder identificar lá de cima todos os lugares que você já terá percorrido anteriormente.

É possível identificar o bairro Providência, onde nos hospedamos, o Cerro San Cristóbal, o Cerro Santa Lucía, o centro histórico e muitas outras atrações.

O Sky Costanera funciona todos os dias da semana, das 10:00 às 22:00 (última subida às 21:00). Subir um pouco antes do pôr do sol é, sem dúvida, uma boa pedida. Consulte os valores do ticket de subida no site oficial da empresa.

Como chegar ao Sky Costanera

Para chegar ao Sky Costanera, basta pegar o metrô até a estação Tobalaba. Depois que sair da estação, procure o prédio mais alto que tiver. Quem, assim como nós, estiver vindo da vinícola Concha y Toro, é só pegar o metrô na estação Puente Alto e seguir até a última parada. Para voltar, pegamos o metrô vermelho (linha 1) até a estação Baquedano, onde fizemos a baldeação para a estação Parque Bustamante, que fica bem próxima ao hotel Casa Lyon, onde nos hospedamos e, posteriormente, nos despedimos de Santiago.

Roteiro romântico Santiago

Despedindo de Santiago no Sky Costanera! Foto: @daimatsushita / Blog Pegadas na Estrada

6) Onde se hospedar em seu roteiro pelas vinícolas de Santiago

Como falamos nos posts anteriores, em Santiago você provavelmente utilizará o metrô para visitar as principais atrações. Por isso, é essencial ficar hospedado próximo às linhas de metrô, principalmente as linhas 1, 4 ou 5.

Ficamos hospedados no Casa Lyon, no bairro Providência, um hotel muito bem servido de transporte público, localizado a apenas 250 metros da estação Parque Bustamante (linha 5) e a 800 metros da estação Baquedano (linha 1).

Hotel Casa Lyon em Santiago

Hotel Casa Lyon em Santiago. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

O bairro é bastante seguro, fácil de estacionar para quem estiver de carro e conta com boas opções de restaurantes e supermercados.

O hotel oferece bom custo-benefício, com quartos simples, mas confortáveis. Além disso, o nosso quarto contou com banheiro privativo, wifi, cama macia, limpeza diária e televisão.

onde se hospedar em Santiago

Quarto do hotel Casa Lyon em Santiago. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

O staff é super prestativo e nos deu várias dicas de Santiago e região.

O café da manhã é servido no estilo buffet, com pães, queijo, presunto, geleia, galetas, frutas, suco, café, leite, iogurte e cereais.

onde se hospedar barato em Santiago

Café da manhã do hotel Casa Lyon em Santiago. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Em resumo, ficamos hospedados 4 noites no Casa Lyon e super recomendamos esse hotel para aqueles que querem ficar bem localizados e pagar um valor acessível.

Gostou deste roteiro sobre vinícolas de Santiago e outras atrações?

Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nada a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Quer saber outras formas de apoiar o projeto Pegadas na Estrada sem gastar nenhum centavo?

Clique aqui e saiba como. É rápido, fácil e nos ajuda bastante. Até a próxima 🙂

Precisando em visitar as melhores vinícolas de Santiago? Então dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois.

Quem vai à capital chilena precisa separar 1 ou mais dias para conhecer as melhores vinícolas de Santiago e arredores. A boa notícia é que parte dessas vinícolas é facilmente acessada de transporte público e está a uma curta distância do centro de Santiago. Conheça agora a mais famosa delas: Concha y Toro!

A nossa hospedagem no hotel Casa Lyon e os ingressos das atrações, foram uma cortesia destas empresas. Todos os relatos descritos neste post, no entanto, foram baseados em nossas experiências reais e refletem 100% a nossa opinião.

Compartilhar

Sobre o autor

10 Comentários

  1. GISELE GOMES DE OLIVEIRA on

    Estamos com passagens compradas para Santiago e visitaremos a cidade de 31/07 a 09/08, na alta temporada, então este post veio bem a calhar, pois estaremos visitando tanto a Vinícola Concha Y Toro quanto o Sky Costanera.
    Já anotei as dicas sobre os transportes e estou ansiosa para conhecer estas duas atrações em Santiago. Obrigada por compartilhar, adorei o relato, será de grande ajuda. Beijos.

    • Olá, Gisele!

      Que bom que o nosso post irá ajudar!
      Santiago é uma cidade muito simpática e acolhedora, você vai gostar!
      Que você faça uma ótima viagem.
      Se tiver alguma dúvida, conte com a gente.
      Abraços
      Cris e Renato

  2. Delícia de lugar, hein? Nunca fui a uma vinícola e morro de vontade de conhecer alguma. Preciso conhecer Santiago, parece muito interessante!

    • Olá, Luiza!

      Que bom que você gostou!
      A vantagem da Concha y Toro é que ela oferece tours bem completinhos e está localizada pertíssimo de Santiago.
      Super valeu a pena.
      Obrigado pelo comentário.
      Abraços
      Cris e Renato

  3. Muito top o Post! Santiago é uma cidade encantadora. Já estivemos varias vezes na cidade e sempre descobrirmos novas atrações. Parabéns pelas dicas preciosas.

    • Olá, Patrícia!

      Que bom que você gostou.
      O Chile é realmente incrível. Ficamos 30 dias por lá. Estamos escrevendo posts de todos os dias da nossa viagem.
      Boas viagens para você.
      Abraços
      Cris e Renato

  4. Oi Cristina e Renato !! Adorei o post!

    Tive a oportunidade de ir a Santiago a trabalho em 2014 por apenas dois dias mas foi o suficiente para ver como a cidade é maravilhosa e querer voltar! Adorei a arquitetura e o atendimento!
    Fiquei hospedada em Providencia e consegui ir ao Costanera Center mas não subi pra ver a vista, acho que eu nem sabia sobre esta opção na época rs! Mas não fui embora sem comprar um delicioso Marques de Casa Concha!!
    Grande abraço!

    • Olá, Paula!

      Que delícia! Sempre é tempo de voltar a Santiago. Há vários passeios diferentes na capital chilena e na região.
      Estamos escrevendo uma série de posts sobre isso.
      Espero que ajude.
      Abraços
      Cris

Deixe um comentário