O que fazer em Oslo – Roteiro de 3 dias: segundo dia

2

No nosso segundo dia em Oslo, aproveitamos o bom tempo para explorar Bygdøy, uma península localizada na região oeste da cidade, com diversos museus, parques, bosques e até uma praia de nudismo.

Para chegar até lá, pegamos o ônibus da linha 30, incluído no Oslo Pass, que parte a cada 10 minutos da estação central de Oslo. De abril ao início de outubro, a região também pode ser acessada por barcos públicos, que saem a cada 30 minutos de Aker Brygge.

Museu do Folclore Norueguês.

Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Atrações visitadas no dia:

1) Museu Kon-Tiki

O nosso primeiro destino na península foi o Museu Kon-Tiki, onde estão expostos os famosos barcos Kon-Tiki e Ra II. As histórias descritas no museu são bastante interessantes e merecem uma visita.

Museu Kon Tiki

Embarcação Ra II no Museu Kon-Tiki em Oslo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Em 1947, o explorador Thor Heyerdahl construiu um barco de papiro, o Kon-Tiki, e navegou com ele do Peru até a Polinésia. A ideia era provar a sua tese de que o povoamento da Polinésia não se deu por homens oriundos do sul da Ásia, como se acreditava até então, mas sim por povos vindos da América, no período pré-colombiano.

Museu Kon-Tiki

Embarcação Kon-Tiki, Oslo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Junto a essa história, o museu dedica uma parte à Ilha de Páscoa, um dos lugares mais místicos e interessantes que já fomos. Deu muita saudade!

Museu Kon-Tiki

Réplica dos Moais da Ilha de Páscoa no Museu Kon-Tiki. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

2) Museu Fram

Bem em frente ao Museu Kon-Tiki, está o Museu Fram, outro museu interessante, incluído no Oslo Pass, que guarda em seu interior o imenso navio Fram. Esse navio foi utilizado pelos exploradores Fridtjof Nansen, Otto Sverdrup e Roald Amunsen, no início do século XX, em suas expedições para os pólos norte e sul.

Fram

Museu Fram, Oslo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

3) Museu do Navio Viking (Vikingskipshutset)

A 1 km dali, seguimos, de ônibus (já que estava incluído no Oslo Pass e passava o tempo todo), para outro museu de barcos. Dessa vez, um museu dedicado aos barcos vikings.

O Vikingskipshuset é um pequeno museu que pode ser percorrido em menos de 1 hora. Nele, o visitante pode ver barcos da Era Viking, incluindo alguns modelos que funcionavam como uma espécie de “caixão” em cerimônias fúnebres na época. Apesar de pequeno, o museu é extremamente especial, para quem, assim como nós, viu e adora a série Vikings.

Museu do Navio Viking

Museu do Navio Viking. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

4) Museu do Folclore Norueguês

Mais 400 metros à pé e chegamos na atração mais interessante de Bygdøy, o Norsk Folkenmuseum (Museu do Folclore Norueguês)!

Igreja de Madeira no Museu do Folclore Norueguês.

Igreja de Madeira no Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Antes de falar do museu, no entanto, vou falar um pouco da minha frustração. Na época em que fomos (outubro – outono), os museus de Oslo costumam fechar muito cedo para quem está a turismo, em torno das 16:00. Além disso, várias atrações do Norsk Folkemuseum estavam fechadas ou sem os bichos e os personagens encontrados no verão. Uma pena, pois esse é um dos museus mais interessantes da Noruega.

E como é o Norsk Folkemuseum?

Bem, o museu é uma mini Noruega a céu aberto e também está incluído no Oslo Pass! São mais de 150 construções originais, datadas de séculos diferentes, retiradas de diversas regiões do país. É possível ver fazendas típicas da região de Østerdal; uma igreja de madeira construída em 1212, e que funciona até hoje; construções de Oslo do século XIX; bares; restaurantes; celeiros; oficinas; enfim, um resumo da história da Noruega em um só lugar.

Museu do Norueguês

Interior da Igreja de Madeira no Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Museu do Folclore Norueguês.

Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Museu do Folclore Norueguês.

Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Além disso, em várias construções, você pode encontrar funcionários do museu com trajes típicos, desempenhando funções características de cada época. Eles estarão arando uma fazenda, cozinhando pão, trabalhando em pequenas vendas, cuidando dos animais, etc.

Museu do Folclore Norueguês.

Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Museu do Folclore Norueguês

Museu do Folclore Norueguês. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Como falamos anteriormente, essa movimentação ocorre mais no verão, mas ela não deixa de existir em outras estações. Se você for no outono, como nós, você verá uma pouco da vida da Noruega, mas com certeza sairá de lá com um gostinho de quero mais.

Saindo do Norsk Folkemuseum, pegamos o ônibus 30 novamente e nos despedimos de Bygdøy.

5) Galeria Nacional (Nationalgallerie)

Seguimos para a Galeria Nacional, também incluída no Oslo Pass, que abriga exposições de escultores e pintores europeus, entre eles alguns famosos noruegueses como Adolph Tidemand, Hans Gude, Harriet Backer e Lars Jorde.

Galeria Nacional de Oslo.

Galeria Nacional de Oslo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

É também nesse museu que você encontrará o célebre quadro “O Grito” de Edvard Munch!

Obra "O Grito" de Edvard Munch. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Obra “O Grito” de Edvard Munch. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

6) O Palácio Real (Det Kongelige Slottet)

Para finalizar o dia, seguimos para o Palácio Real, localizado na parte mais alta do Parque do Castelo.

Construído entre 1824 a 1848, o palácio é bem mais simples do que outros palácios reais da Europa. Ainda assim, dar uma volta nos seus jardins pode ser um passeio interessante para o final do dia. Atualmente, o local é a residência oficial da família real e só é possível visitar o seu interior durante o verão.

Palácio real de Oslo.

Palácio real de Oslo. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

Praça do Castelo em Oslo.

Praça do Castelo em Oslo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Assim termina o nosso segundo dia em Oslo. No próximo post, descreveremos as atrações visitadas no terceiro e último dia e nos despediremos da cidade, rumo à Tromso, não perca!

Gostou deste post? Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nada a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem.



Booking.com

Quer saber outras formas de apoiar o projeto Pegadas na Estrada sem gastar nenhum centavo?

Clique aqui e saiba como. É rápido, fácil e nos ajuda bastante.

 

*** Post Índice da Noruega ***

– Noruega – dicas e roteiros
– Roteiro de 2 dias em Stavanger – Dia 1: centro histórico
– Roteiro de 2 dias em Stavanger – Dia 2: Pulpit Rock
– De Stavanger a Bergen: roteiro de 3 dias em Bergen. Dia 1: Monte Floyen
– Roteiro de 3 dias em Bergen. Dia 2: Norway in a Nutshel
– Roteiro de 3 dias em Bergen. Dia 3: centro histórico
– O que fazer em Oslo – Roteiro de 3 dias: primeiro dia

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

2 Comentários

Deixe um comentário