Roteiro de 7 dias na Islândia – Dia 3 – Gljúfrafoss, Seljalandsfoss, Skogafoss Waterfall, Vik e Canyon Fjaðrárgljúfur

2

Nos dois primeiros dias, conhecemos a capital Reykjavik e as principais atrações ao seu redor.

Do 3º ao 7º dia, demos uma volta completa na ilha, que contaremos em detalhes neste e nos próximos posts.

Saímos de Reykjavik por volta das 08:00 da manhã e seguimos a Ring Road em direção a Seljalandsfoss, considerada uma das mais bonitas cachoeiras da Islândia.

Islândia Iceland Ring Road

Seljalandsfoss, Islândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Localizada bem próxima à estrada, Seljalandsfoss é facilmente acessível a pé e possui entrada e estacionamento gratuitos.

A partir do estacionamento, é possível seguir uma pequena trilha que leva o visitante para a parte de trás da queda d´água. É hora de molhar! Não se esqueça de proteger a câmera fotográfica.

Islândia Iceland Ring Road

É hora de molhar em Seljalandsfoss. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Bem perto da Seljalandsfoss, está a Gljúfrafoss, outra linda cachoeira. Deixamos o carro no primeiro estacionamento e fomos a pé de uma para a outra.

A Gljúfrafoss é um pouco menor, mas é possível passar por uma pequena fenda e vê-la bem de perto. Hora de molhar 2!

Islândia Iceland Ring Road

Hora de molhar em Gljúfrafoss. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Saindo de lá, seguimos para Skogafoss, uma enorme cachoeira com 60 metros de altura, muita água e um arco-íris sempre presente. Assim como Seljalandsfoss, a Skogafoss, possui estacionamento e entrada gratuitos (como a maioria das atrações da Islândia). Você também encontrará banheiros no estacionamento.

Ao lado da cachoeira, existe uma escada que leva o visitante para o ápice de Skogafoss, com um visual deslumbrante. São alguns bons degraus, mas a vista lá de cima vale o esforço.

Skogafoss roteiro islândia

Skogafoss, Islândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Dirigimos mais 30 minutos na Ring Road e chegamos a outro tipo de paisagem: as praias de areia preta de Vik, totalmente diferente de tudo o que já tínhamos visto.

Iceland Ring Road

Praia de areia preta, Vik. Fot: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Iceland

Praia de areia preta, Vik. Fot: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Iceland Ring Road

Praia de areia preta, Vik. Foto: RMA / Blog Pegadas na Estrada

À medida que nos afastamos de Reykjavik, as estradas e as paisagens vão ficando mais vazias e a viagem mais relaxante. A maioria das pessoas ficam apenas na capital e pegam excursões para os seus arredores. Mas, sinceramente, a Islândia tem muito mais a oferecer e o melhor da viagem ainda estava por vir!

Seguimos para a pequena cidade de Vik, com suas casinhas de telhado vermelho e uma igreja no alto da montanha. Atrás da igreja, seguimos uma rua que nos levou para um ponto ainda mais alto, de onde pudemos ter uma vista panorâmica da cidade.

Iceland Ring Road

Vista panorâmica de Vik. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Aproveitamos e fizemos uma parada em um mercado de Vik para comprarmos alguns tira-gostos (queijo brie, geleia, salame, amendoim, pães, Pringles …) para tomarmos com vinho a noite, lembrando que só é possível comprar bebida alcoólica na Islândia na loja oficial do governo Vínbúðin.

Importante: assim como as pessoas, o número de restaurantes também começa a diminuir à medida que nos afastamos de Reykjavik. Por isso, é sempre bom ter um plano de alimentação no carro!

A última parada do dia, antes do nosso vinho, foi o Canyon Fjaðrárgljúfur, a maior surpresa da viagem.

Ficamos hospedados em um hotel super fofo e romântico a 2 km do canyon, o Hunkubakkar Guesthouse. A ideia inicial era deixar o carro no hotel e seguir à pé para o Fjaðrárgljúfur, já que lemos na internet que era necessário um 4X4 para chegar até lá.

Iceland Ring Road

Hunkubakkar Guesthouse, Islândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Mas chegando no hotel, não fizemos isso não. A estrada era muito boa e a recepcionista nos aconselhou a ir de carro mesmo.

Fomos com o nosso carinhoso Pandinha Express (Panda, uma espécie de Uno Europeu), que nos acompanhou em toda a viagem e deu super conta do recado!

Voltando à surpresa da viagem: Canyon Fjaðrárgljúfur. Foi de tirar o fôlego!

Chegamos no cânion no final da tarde e já não havia praticamente ninguém. Nenhuma excursão? Era tudo nosso? Sim, era tudo nosso e a luz de final de tarde deixava o cânion ainda mais impressionante.

Fizemos uma pequena trilha para cima do cânion, tiramos lindas fotos e agradecemos muito por podermos estar ali!

Mais uma vez, a entrada na atração foi gratuita e o estacionamento também! Ah, Islândia!

Iceland Ring Road

Canyon Fjaðrárgljúfur, Islândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Finalizamos a noite com um delicioso vinho na varanda do nosso hotel fofo (são vários chalés de madeira espalhados no meio do nada). Ah, Islândia 2!

Infelizmente não conseguimos ver a Aurora Boreal nesse dia, porque o céu ficou bastante nublado.

Uma pena, porque um hotel em uma fazenda, isolado das luzes da cidade, com um vinho e uma varanda, seria o cenário perfeito para quem sonha em ver a Aurora Boreal.

Islandia Iceland Ring Road

Hunkubakkar Guesthouse, Islândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Continue lendo este roteiro no post Dia 4: Vatnajökull National Park, Jokulsarlon Glacier Lagoon.

*** Índice de Posts da Islândia ***

Islândia – É tempo de aproveitar as oportunidades!
Dicas para começar a planejar!
Roteiro de 7 dias na Islândia. Dia 1: Blue Lagoon e Reykjavik
Roteiro de 7 dias na Islândia. Dia 2: Golden Circle
Roteiro de 7 dias na Islândia: Dia 4: Vatnajökull National Park, Jokulsarlon Glacier Lagoon
Roteiro de 7 dias na Islândia. Dia 5: Costa Leste, Dettifoss, Ásbyrgi Canyon e Husavik
Roteiro de 7 dias na Islândia. Dia 6: Husavik (observação de baleias), Godafoss e Lago Myvatn
Roteiro de 7 dias na Islândia. Dia 7: Lago Myvatn, Costa Oeste, Barnafoss, Hraunfossar e Keflavík
Dicas para encontrar a Aurora Boreal perfeita e para fotografá-la

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

2 Comentários

  1. Quanto tempo depois de sair do carro vcs subiram no canyon? Vamos no inverno, temos o tempo apertado e por isso gostaria de sabe como é o acesso para lá. mais ou menos a média para ver o lugar e tirar boas fotos 🙂

    • Olá Rebeca,

      O estacionamento fica bem na entrada do cânion. De lá até o primeiro mirante são apenas 300 metros, aproximadamente. Até o último mirante são cerca de 1,3 km. Então, espere gastar entre 1h – 1h30min para percorrer todo o cânion, tirar fotos e curtir sem muita correria.

      Abraço,

      Renato
      Blog Pegadas na Estrada

Deixe um comentário