O que fazer em São Pertersburgo. 2º Dia: Palácio de Peterhof

2

Considerada a cidade mais européia de toda a Rússia, São Petersburgo encanta os viajantes com seus maravilhosos palácios, como o Peterhof e o Palácio de Catarina; museus grandiosos, como o Hermitage; exuberantes igrejas e muita história.

Peterhof São Petersburgo Rússia

Palácio de Peterhof, São Petersburgo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Em outubro de 2015, conhecemos os principais pontos turísticos da cidade em um roteiro de 4 dias. No post anterior, falamos sobre como chegar, como se locomover, onde se hospedar, procedimentos de imigração, o que esperar e as atrações visitadas no nosso primeiro dia na cidade. Se você ainda não leu essa matéria, recomendamos conferir o post “São Petersburgo, Rússia: dicas e roteiro”.

No post de hoje, falaremos sobre o 2º dia do roteiro e a nossa visita a um dos palácios mais bonitos do mundo, o Peterhof!

1) Sobre o Palácio de Peterhof

Idealizado pelo Czar Pedro, O Grande, o Palácio de Peterhof foi construído durante o período de urbanização da cidade de São Petersburgo, no início do século XVIII.

Com o objetivo de superar a exuberância do Palácio de Versalhes, visitado pelo czar em uma viagem à França, Pedro, O Grande, contratou o melhor arquiteto francês da época para projetar o palácio e não poupou esforços para a sua construção.

Com o passar dos anos e das gerações, o projeto original foi sofrendo algumas modificações, tendo novos pavilhões e estilos de decoração incorporados.

Atualmente, Peterhof é formado pelo Grande Palácio Central, com outros vários palacetes, vilas, jardins e pavilhões espalhados por um parque de aproximadamente 1000 hectares.

Se superou ou não Versalhes, o fato é que Peterhof é hoje uma das maiores preciosidades arquitetônicas da Rússia e é também Patrimônio Mundial declarado pela Unesco desde 1990.

Roteiro São Petersburgo

Palácio de Peterhof visto do jardim inferior. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

1.1) Horário de Funcionamento

Ao contrário de outros palácios, no Peterhof, cada pavilhão tem um horário de funcionamento diferente. Alguns estão abertos a partir das 09:00 horas da manhã, outros das 10:30. Alguns fecham às 18:00, outros às 21:00.

Por isso, o ideal é conferir o horário de cada atração no site oficial do Peterhof ou fazer como a gente: programe-se para chegar no palácio o mais cedo possível, por volta das 09:00 da manhã. Assim, você consegue tirar algumas fotos externas sem as multidões que chegam com as excursões e ser um dos primeiros a visitar o interior do palácio central, que é concorridíssimo.

1.2) Ingressos

Os tickets de entrada podem ser comprados individualmente por cada atração ou com algumas combinações de atrações.

Felizmente, esses tickets também são vendidos pela internet. Vale a pena conferir no site oficial do Peterhof os preços e todas as combinações possíveis.

Lembre-se, no entanto, que as grandes estrelas do complexo são o Grande Palácio e os jardins inferiores!

1.3) Quanto tempo é necessário para conhecer o Palácio de Peterhof

Recomendamos que você separe 1 dia inteiro para visitá-lo pelos seguintes motivos:

  • O Palácio de Peterhof está localizado a cerca de 20 km da cidade de São Petersburgo e você poderá demorar mais do que imagina para chegar até lá, principalmente se for de ônibus.
  • O lugar é enorme e você com certeza gastará boas horas por lá.
  • O jardim é incrivelmente lindo, vale a pena caminhar com tranquilidade por ele e, quem sabe, até fazer um piquenique.
  • Por ser uma das atrações mais concorridas da Rússia, é provável que ela esteja bem cheia de turistas durante a sua visita (com exceção do período de inverno). Por isso, espere passar boas horas na fila, principalmente se você ainda não tiver comprado o ingresso.

2) Visita ao Palácio de Peterhof

  • Interior do Grande Palácio

O interior do Grande Palácio apresenta cerca de 30 salas abertas à visitação. De maneira geral, as salas são ricamente decoradas com quadros que retratam guerras, episódios históricos e membros da família imperial; tronos; móveis; objetos decorativos e outros objetos pessoais.

Algumas salas que merecem destaque: o Salão Branco, destinado às refeições de gala; a Sala de Chesma, dedicada à vitória naval russa sobre os turcos na Batalha de Chesma; o Salão das Perdizes, a Sala dos Retratos, com cerca de 368 retratos, a maior parte deles de mulheres; e os Gabinetes Chineses, decorados com objetos importados do oriente e com paredes feitas em laca.

Infelizmente não é possível tirar fotos dentro do palácio. Por esse motivo, mostraremos apenas algumas fotos da sua parte externa.

O que fazer em São Petersburgo

Entrada do Palácio de Peterhof, São Petersburgo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Viagem Turismo Rússia

Pavilhões ao longo do complexo de Peterhof, São Petersburgo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

viagem São Petersburgo turismo

Jardim inferior visto do Palácio de Peterhof, São Petersburgo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

  • Jardins Superior e Inferior

O Grande Palácio está localizado entre os jardins superior e inferior.

Roteiro viagem Rússia

Jardim superior com o Palácio de Peterhof ao fundo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Para quem chega de ônibus, o jardim superior é localizado na entrada do complexo. O jardim inferior, por sua vez, está localizado atrás do palácio e vai ao encontro das águas do Golfo da Finlândia (Mar Báltico), onde há uma prainha ao estilo russo. É lá também onde chegam os barcos durante o verão.

Golfo da Finlândia Mar Báltico

Praia no Golfo da Finlândia. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

A parte mais impressionante dos jardins é sem dúvida a Grande Cascata, localizada no jardim inferior, prolongando-se por um grande canal até ao Mar Báltico. Ao longo do trajeto e do parque, você verá mais de cento e vinte fontes, todas elas de grande beleza e imponência.

Jardim inferior Palácio de Peterhof

Jardim inferior do Palácio de Peterhof, São Petersburgo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

Guia de Viagem Rússia São Petersburgo

Jardim inferior do Palácio de Peterhof, São Petersburgo. Foto: CFR / Blog Pegadas na Estrada

3) Como chegar

Durante o verão (1º de maio a 30 setembro), existem barcos que partem do cais localizado atrás do Palácio de Inverno (Museu Hermitage) e levam diretamente ao Peterhof. A passagem custa 800 rublos (US$ 14 em fev/2017) e a viagem dura entre 30-60 minutos.

Fora desse período, a melhor forma de chegar ao palácio é de ônibus. Existem diversas combinações possíveis para se chegar ao Peterhof. A que achamos melhor foi pegar o metrô vermelho até a estação AVTOVO e depois o ônibus 200 ou 210 até a porta do palácio. Ao sair da estação AVTOVO, cruze a Prospekt Stachek utilizando a travessia subterrânea e pegue o ônibus no outro lado da avenida. A passagem custa 40 rublos (US$ 0,70 em fev/2017) e a viagem dura entre 40-60 minutos. Se você estiver com GPS (altamente recomendável), coloque as coordenadas 59.880209, 29.908078 no seu aparelho. Este é o ponto onde você deve descer. Caso esteja sem GPS, use como referência a Catedral de Pedro e Paulo que aparecerá à sua esquerda, cerca de 350 metros antes da sua parada.

4) Onde se hospedar

Como falamos, o Palácio de Peterhof não fica localizado no centro de São Petersburgo e sim na cidade de Peterhof, a cerca de 20 km de São Petersburgo. Portanto, esta não é uma boa região para se hospedar.

Prefira dormir na região próxima à avenida Nevsky Prospect e ao centro histórico, a partir de onde você poderá conhecer várias atrações a pé.

Lá você encontrará hotéis para todos os bolsos e gostos: hotéis luxuosos, redes internacionais conhecidas, B&B e “mini hotéis”. Para saber a diferença entre eles e conhecer algumas sugestões de hotéis com bom custo-benefício, confira o item 4 do post “São Petersburgo, Rússia: dicas e roteiro“.

Gostou desta matéria? Reserve os seus hotéis em qualquer destino pela caixa do Booking.com abaixo. Você não gasta nenhum centavo a mais por isso, mas o nosso site recebe uma pequena comissão, que nos ajuda a escrever estes guias gratuitos de viagem. Obrigado e até a próxima!



Booking.com

Pretende conhecer o Palácio de Peterhof? Dê um pin na foto abaixo e salve este conteúdo no seu Pinterest para consultá-lo depois. É simples, rápido e prático!

Conheça o Palácio de Peterhof, uma das maiores obras arquitetônicas da Rússia. Dicas de como chegar, o que visitar e informações gerais sobre o complexo.

*** Você também poderá gostar de ler ***

 

Compartilhar

Sobre o autor

Ela, cheia de imaginação e criatividade. Acredita que o mundo está logo ali. Se vai para o Canadá, por que não dar uma esticadinha até a Rússia, passando pela Islândia e pela Escandinávia? Ele, viajante mais pé no chão, pesquisa todos os detalhes e nunca se mete em furada ou confusão. Juntos, um equilíbrio, e muitas histórias para contar!

2 Comentários

  1. Preciso muito de ajuda com essa viagem. Como vou estar lá por dois dias(parada do navio) quero otimizar meu tempo. Pensei no primeiro dia visitar Peterhof e Palácio de Catarina. Cotei guia(caríssimo) e taxi com chofer(diária). Como vou ficar muito tempo em cada lugar achei que talvez fosse gasto demais. Talvez pegar taxi para o hydrofoil fosse suficiente. Será que é fácil pegar taxi do Peterhof até o Palacio de Catarina?

    • Renato de Araújo on

      Olá Virginia,

      Os dois palácios ficam nos arredores de St. Petersburgo, mas em lados opostos. Portanto, você deve considerar, além do tempo da visita em cada palácio, o deslocamento até eles. Por isso, acho que fica muito puxado fazer os dois no mesmo dia. A minha sugestão seria escolher um e curtir sem correria.
      Como fomos de transporte público, não reparamos se havia muitos táxis próximos aos palácios. Mas, de qualquer forma, o mais difícil não é encontrar um táxi, mas sim a negociação com o taxista. Provavelmente, ele não vai falar nenhuma outra língua que não seja o russo e, ao perceber que você é estrangeira, vai querer cobrar muuuuito mais caro do que o preço normal da corrida. Por esse motivo, costuma ser mais seguro e barato o uso de aplicativos como o Uber, pois como o preço é fechado e o destino já fica marcado no app, a comunicação com o motorista é desnecessária.

      Abraço,

      Renato
      Blog Pegadas na Estrada

Deixe um comentário